..

..

quinta-feira, 4 de maio de 2017

Sarney critica greve contra reforma da Previdência enquanto luta para manter aposentadoria de R$ 70 mil



Parece inacreditável, mas é verdade. O ex-senador José Sarney, que luta na Justiça para manter uma aposentadoria de R$ 70 mil (portanto, acima do teto) teve coragem de criticar em seu jornal quem faz greve em defesa de sua aposentadoria.

Em artigo publicado neste sábado (29) no jornal de sua família, o velho oligarca condenou veementemente a Greve Geral dos Trabalhadores que mobilizou ontem todo o país contra as reformas trabalhista e da Previdência propostas pelo governo Michel Temer (PMDB), seu aliado político e de partido.

No texto intitulado “A teoria da greve geral”, Sarney classificou a paralisação dos trabalhadores como um “fracasso” e “anacrônica”, e chamou os manifestantes de “arruaceiros” e “baderneiros”.

Para Sarney, com auxílio dos sindicatos e das federações, o trabalhador brasileiro tem hoje uma “força muita grande e não precisar recorrer às greves para obter conquistas”, mesmo sabendo que com a aprovação da reforma trabalhista, as frentes sindicais sairão prejudicadas e o empresariado mais forte na relação ‘patronato X empregado’.

Outro ponto surreal citado pelo velho oligarca é de que a “diversidade de trabalho faz com que o trabalhador também não tenha interesse em paralisar a empresa”. Ele citou isso mesmo após a taxa de desemprego nacional ter atingido no primeiro trimestre de 2017 o índice recorde de 13,7%, afetando mais de 14 milhões de brasileiros pela falta de postos de trabalho.

Mas o artigo em si contra os grevistas é a maior gafe que Sarney poderia cometer ao falar sobre o tema. Sarney foi condenado pela Justiça Federal a devolver os valores da tripla aposentadoria que recebeu, desde 2005, acima do teto permitido por lei, o que equivale a cerca de R$ 4 milhões.

Ele o ex-senador da República que recebe a maior aposentadoria. Além dos mais de R$ 30 mil mensais em pensões por ter sido governador do Maranhão, na década de 1960, Sarney recebe ainda R$ 29.036,18 mensais de aposentadoria como senador, e mais R$ 14.278,69 como servidor aposentado da Justiça maranhense. Os valores somados garantem um total mensal de R$ 73 mil só em aposentadorias ao patriarca do clã Sarney.

Enquanto ele briga na Justiça para continuar recebendo as três aposentadorias, uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) da última quinta-feira (27), permitindo salário acima do teto em caso de acúmulo de cargos, pode abrir um precedente para Sarney e o recebimento abusivo de aposentadorias.

Talvez, como para ele os benefícios podem ser garantidos por meio da sua influência política, ele considere que greves gerais dos trabalhadores comuns, meros mortais, estejam sempre fadadas ao fracasso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário