Páginas

terça-feira, 31 de março de 2015

Estado dialoga para reverter 650 demissões na Alumar



O governo do Estado reuniu na tarde desta segunda-feira (30) com dirigentes da Alcoa/Alumar para tratar sobre demissões de 650 trabalhadores, anunciadas pelo Consórcio de Alumínio do Maranhão. A pedido do governador Flávio Dino, o vice-governador Carlos Brandão e os secretário estaduais de Indústria e Comércio, Simplício Araújo, e do Trabalho e Economia Solidária, Julião Amim, dialogaram com representante da empresa sobre a possibilidade de reverter a decisão e atenuar os impactos dessa medida para a classe trabalhadora do estado.

O governador Flávio Dino lamentou o anúncio feito pela Alumar, que ao desativar a terceira linha de produção de alumínio no Estado, informou o corte de 650 postos de trabalho. O governadorlembrou que desde 2013 a empresa já reduzia as atividades voltadas para este setor, em decorrência da baixa competitividade no mercado internacional. Chegando a realizar, no ano passado, 245 demissões. “Lamentável a decisão da Alcoa de retomar demissões iniciadas em 2014. Governo do Estado está cobrando explicações e providências da empresa”, relatou Flávio Dino.

Durante a reunião, em que esteve presente o diretor operacional da Alumar, Nilson Ferraz, a equipe do governo reiterou surpresa ao receber a notícia, já que existia a abertura para um diálogo prévio. Ainda neste ano, o governador Flávio Dino, o vice-governador Carlos Brandão e o secretário Simplício Araújo receberam a direção da empresa em audiência no Palácio dos Leões. Na oportunidade foram discutidas as perspectivas de investimentos no Estado e em nenhum momento os dirigentes da multinacional informaram ao governo do Estado sobre a intenção de adotarem a decisão, que fere os interesses do Estado e dos trabalhadores.

“Achamos a medida muito precipitada. Não houve um diálogo com o governo do Estado ou com o Sindicato dos Trabalhares, a fim de reverter a situação ou encontrar medidas para suavizar os impactos”, opinou o vice-governador Carlos Brandão, certo de que uma decisão conjunta seria a melhor saída, já que o Maranhão tem sido parceiro da Alcoa ao longo dos anos, ofertando matéria-prima e mão de obra.

O secretário Simplício Araújo explicou que a reunião teve como objetivo defender os interesses da classe trabalhadora. “Apesar de saber que já vinha tendo uma crise desde 2013, neste momento, da forma que foi feito, o anúncio nos causou surpresa. A primeira atitude foi buscar uma rodada de negociação com a empresa, no sentido de que possamos tentar rever, não podendo rever, que possamos atenuar, da melhor forma possível, as implicações desta medida”, explicou Simplício, lembrando que em 2014, como forma de diminuir os impactos das demissões, a Alumar providenciou atendimento jurídico e psicológico, além de ofertar formação em outras áreas de atuação para que o trabalhado dispensado pudesse ser reabsorvido pelo mercado de trabalho do Maranhão.

Como encaminhamento do encontro, foi deliberada uma próxima reunião entre o governo do Estado e o presidente da Alumar a fim de encontrar uma tratativa para a situação, definindo saídas que atendam aos interesses da empresa e, principalmente, dos trabalhadores.

segunda-feira, 30 de março de 2015

Prefeitos e vereadores de todo país poderão ter 6 anos de mandato



Ainda no segundo semestre deste ano, Deputados e Senadores votarão a Reforma Política e um item é destaque: a prorrogação dos mandatos, por mais dois anos, de todos os prefeitos e vereadores eleitos em outubro de 2012. Eles terão, portanto, seis anos de mandato.

O projeto é deputado federal Edmar Arruda e segundo ele, em entrevista a uma emissora de TV nesta semana, afirmou que os parlamentares vão aprovar o projeto. “O clima é pela aprovação”, disse.

Com isso, em 2018 — explicou Edmar — haverá eleição única para presidente da República, governadores, deputados estaduais, federais, senadores, prefeitos e vereadores

Deixar a estrada da exclusão social

Por Flávio Dino



A fome é a negação mais cruel dos direitos fundamentais de qualquer ser humano. É a negação da condição básica para o desenvolvimento do homem que, sem ter o que comer, não consegue trilhar os caminhos que pedem os sonhos que tem para si e para a sua família. É a negação primeira do que a filósofa Hannah Arendt chamou do“direito a ter direitos”. Sem nada para comer, como ter acesso à educação, à cultura, ao trabalho ou à sua autodeterminação?

Infelizmente, a negação do "direito a ter direitos" ainda é muito viva em nossa realidade. Lembro que cerca de 25% dos maranhenses ainda vivem na extrema pobreza, o que corresponde a cerca de 1,5 milhão de pessoas. Mas esses não são dados frios, e a reportagem “Estrada da Fome”, exibida na última segunda-feira pela TV Record para todo o Brasil, mostrou que esse retrato cruel é verdadeiro, tem nome e sobrenome, tem rosto e lágrimas.

Esse legado de desumanidade e descaso foi herdado por nós, maranhenses, em decorrência de décadas de governos que deram as costas aos mais necessitados. Como explicar, por exemplo, que o Maranhão seja a 16ª economia do país, estado que possui água em abundância, terras boas e um povo com muita vontade de vencer, mas com as piores condições de vida do país? A explicação somente pode residir na histórica combinação entre utilização pessoal do patrimônio público, corrupção e injustiça social, caminhos pelos quais poucos se apropriaram dos bens de milhões de pessoas.

As vozes do coronelismo maranhense, que hoje vivem enorme crise de abstinência com a perda de antigos privilégios e de ganhos ilícitos, calam-se diante da calamidade retratada por 1 hora na última segunda-feira em rede nacional. Contudo, ao contrário do que eles sempre fizeram, estamos lutando para transformar esse inaceitável retrato.

Creio que nenhuma pessoa deve ficar insensível diante desse quadro. Especialmente no que se refere ao papel do governante, deve ser o de buscar soluções urgentes, duradouras e eficazes para dar a essas pessoas o direito de voltar a sonhar. Foi por este motivo que, logo no primeiro dia de Governo, minutos após a nossa posse, instituímos o Plano de Ações Mais IDH. Ele começa pelas 30 cidades com menor Indice de Desenvolvimento Humano em nosso Estado e vai mostrar progressivamente que, sim, nós podemos mudar o cenário imposto por décadas de desmandos políticos e desrespeito com a população.

Por intermédio do Plano Mais IDH, o Governo do Estado começou a levar mais direitos e mais dignidade a esses milhões de maranhenses outrora invisíveis, cujos futuros foram criminosamente roubados em tenebrosas transações. Agora, o orçamento público é aplicado com a único objetivo de servir a população, com enfoque especial àqueles que mais precisam da ação direta do Estado

Para que se tenha a dimensão deste programa, somente na primeira semana do Mutirão Mais IDH, foram realizados 18 mil atendimentos em 9 municípios. Nesse mutirão, encontramos milhares de pessoas que jamais tiveram acesso a qualquer serviço público, que jamais foram lembrados pelos governantes, a não ser em tempo de eleição. Até o fim do nosso governo, vamos levar a todas as regiões maranhenses provas concretas de que vale a pena lutar e ter esperança em dias melhores. Apoio à produção, políticas sociais, ampliação de infraestrutura e combate à corrupção são os pilares que sustentam esse novo projeto de desenvolvimento no Maranhão.

O destino dos milhões de maranhenses não é estar irrevogavelmente à margem do mundo dos direitos. É para colocá-los na rota do crescimento e dar-lhes condições de se fortalecer, educar e prosperar que conduzimos as ações governamentais, em que hoje há o DNA da indignação transformadora.

Ricardo Murad já começa a procurar lideranças de oposição insatisfeitas em Coroatá



O ex-secretário de saúde e ex-deputado estadual, marido da prefeita de Coroatá começa a desenhar seu plano demoníaco de governar por mais quatro anos a cidade de Coroatá. Depois de se mudar de vez pro sitio Cajueiro, Murad agora como secretário de sua esposa começa a executar obras de grande porte no município, como por exemplo o asfaltamento da avenida principal do Bairro Palmeira Torta.

Ricardo que é expert em fazer politica, já começou também a traçar os planos para as próximas eleições, as jogadas dele, até uma criança de 10 anos já conhecem de cós salteados, a primeira é correr atrás dos que outrora fora inimigos e que agora encontram-se na rua da amargura, abandonados e longe de ser visto como liderança por nenhum grupo politico. Muitos achavam que essa tática não funcionaria em 2012, quando Murad 'comprou' partidos que eram do grupo liderado por Luis da Amovelar e com eles, algumas lideranças conhecidas que logo se tornaram candidatos a vereadores e garimparam votos para a esposa do ditador.  Pois eis que andando junto com uma enorme estrutura de campanha e diversas 'formiguinhas' tidas por muitos como "sem votos" Teresa alcançou a prefeitura. 

A história ao que tudo indica tem 80% de chances de se repetir, já começa a dar os primeiros passos, pois o próprio Murad foi visto visitando lares de algumas lideranças de bairro e sindicais já visando as eleições próximas, Murad também já mandou recado para ex-vereadores e suplentes que ficaram de fora do grupão que indica cargos a serem ocupados nos hospitais do governo em Coroatá, que ficaram de pensar no assunto para depois dar uma resposta ao carcamano, que já mostrou que não está pra brincadeira quando o assunto é 2016!

Enquanto isso, a oposição de Coroatá assiste tudo de camarote!

Governo orienta produtores sobre Cadastro Ambiental Rural

Como forma de incentivar o produtor rural maranhense a aderir ao Cadastro Ambiental Rural (CAR), o Estado iniciou, na manhã desta segunda-feira (30), no município de Balsas, uma série de palestras sobre o tema. A ideia é que as palestras acompanhem a entrega das sementes de feijão do Programa ‘Mais Sementes’, que será lançado nesta terça-feira (31), uma vez que a retirada do insumo pelo agricultor está atrelada à realização do cadastro.

Existem 287.039 imóveis rurais passíveis do Cadastro Ambiental Rural (CAR) no Maranhão, perfazendo uma área de mais de 13 milhões de hectares. Cerca de 90% desses imóveis pertencem a agricultores familiares, que são o foco do mutirão promovido pelo Estado. “Precisamos mostrar ao agricultor que é fundamental que ele participe desse levantamento, que servirá de base para ações do Ministério nos próximos anos”, ressaltou o secretário de Agricultura e Pecuária, Márcio Honaiser.

O CAR é o registro público eletrônico obrigatório das informações ambientais dos imóveis rurais do Brasil, cujo prazo se encerra no final de maio. Os produtores que não fizerem o cadastro estão passíveis de sanções por parte do Governo Federal. Os produtores que aderem contam com vantagens como base de dados para planejamento do imóvel e sua produção, juros menores no financiamento rural e melhores condições para aquisição de seguro agrícola.

O acesso ao CAR é online e gratuito, no endereço eletrônico www.car.gov.br e qualquer pessoa pode entrar no sistema para se cadastrar. É necessário baixar o ‘Módulo de Cadastro’, preenchê-lo e enviá-lo para análise, tudo no mesmo site. Os produtores poderão fazer o cadastro quando retirarem as sementes de feijão do Programa ‘Mais Sementes’, além disso, os produtores contarão com o auxílio de multiplicadores que estão sendo capacitados para atuarem nas diferentes regiões do estado.

As próximas palestras serão realizadas nos municípios de São João dos Patos, Açailândia e Imperatriz. O trabalho está sendo desenvolvido pelas Secretarias de Estado de Agricultura e Pecuária (Sagrima), Meio Ambiente (Sema), Agricultura Familiar (SAF); Agência de Defesa Agropecuária (Aged), Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e de Extensão Rural (Agerp) e Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar).

"Oligarquia Murad continua perseguição ao superintendente da SES e ex-secretário Luíz Júnior" Diz Vereador Cássio



O vereador governista Jocimar Pereira (PMDB) usou a tribuna durante o grande expediente da sessão desta quinta-feira, 26, para dizer que maior parte dos secretários da administração de Luís da Amovelar (PT) foram condenados e aproveitou para lembrar o recente discurso da deputada Andrea Murad (PMDB) na tribuna da Assembleia Legislativa quando disse que o ex-secretário municipal de Saúde de Coroatá, ocupando atualmente o cargo no primeiro escalão da Secretaria de Estado de Saúde do Maranhão,Luíz Júnior, foi condenado a devolver R$ 7 milhões.

Ao falar o vereador governista esquentou o debate, sendo suficiente para que o vereador da oposição Cássio Reis (PSDB) subisse à tribuna para confrontar o discurso. Para início de conversa o vereador esclareceu que não há nenhuma condenação ao ex-secretário, mas apenas um processo em tramitação, fato comum a detentores ou ex-detentores de cargos na administração pública.

Em seu discurso o vereador Cássio Reis defendeu o ex-secretário de Coroatá, atual superintendente de Acompanhamento da Rede de Serviços de Saúde, dizendo que graças às muitas qualificações que possui tornou-se perseguido pelo ex-secretário de estado Ricardo Murad. “Qual seria o motivo do temor do ex-deputado em relação ao gestor da Rede? Seria ocasionado pelas devassas que estão sendo realizadas referentes ao período sob sua gestão naquela pasta? Talvez, pois como já denunciei nessa casa, são muitos indícios que começam a surgir e todos apontam para este rumo, como mostrou recentemente a televisão em rede nacional quando retratou o abandono em que foram deixados os hospitais da ‘saúde britânica’”.

“O dinheiro que era pra ser usado na construção e funcionamento desses hospitais não teria sido desviado para investir em duas cadeiras na Assembleia Legislativa? Que, aliás, saíram muito caras! É muito cinismo a deputada Andrea Murad querer diminuir o nome do superintendente Luíz Júnior, quando nem um rolo de papel higiênico seria o suficiente para representar os muitos processos em que seu pai Ricardo Murad tem o nome envolvido ”, declarou o parlamentar.

E continuou “Enquanto a deputada persegue o superintendente ela poderia estar em Coroatá pedindo ao seu pai que não perseguisse o Ricarlos Serra que presta serviços ao Hospital Macrorregional de Coroatá, proibindo que fossem colocados os resíduos retirados daquela unidade de saúde no aterro sanitário do município, conforme ocorria nos anos anteriores, na tentativa de inviabilizar o funcionamento do hospital ou que não perseguisse os nossos professores da rede municipal de ensino que tiveram que acampar em frente à secretaria municipal de Educação para exigir seu direito ao reajuste, mas mesmo assim não conseguiram sensibilizar os ditadores”.

Ainda em seu discurso o vereador oposicionista Cássio Reis disse que o ex-deputado Ricardo Murad já persegue o superintende há alguns anos, porém o que se pode enxergar ao associar o nome de Luís Júnior ao município de Coroatá são os muitos avanços quando de sua passagem pela secretaria municipal de Saúde, somente para citar alguns: postos de saúde na sede e zona rural, implantação do SAMU 192, a implantação de diversos programas de atenção a saúde que até então não existiam, a perfuração de diversos poços artesianos, a implantação do CAPS, do NASF, a aquisição do CEO que foi inaugurado na administração seguinte, aumento na equipe de ACS, Gabinete dentário móvel entre muitos outros.

“Enquanto isso a Polícia Federal nunca esteve em Coroatá atrás de um secretário do governo do ex-prefeito Luís da Amovelar, mas veio em busca do secretário de Educação do governo de Romulo Augusto, sobrinho de Ricardo Murad que funcionava como um fantoche em suas mãos”, contrapôs o parlamentar . “A prefeita assumiu o governo dizendo que o ex-prefeito Luís da Amovelar não tardaria em ser preso, mas até agora isso não aconteceu, eu até acredito que o feitiço possa virar contra a feiticeira, o que levará a cadeia uma pessoa muito próxima a ela”, ironizou referindo-se ao esposo da prefeita e pai da deputada, Teresa e Andrea Murad, respectivamente.

Em seguida o vereador continuou a ironizar, mas desta vez as sucessivas mudanças na pasta da saúde do governo da esposa do ex-deputado, a prefeita Teresa Murad: “Não sei dizer se aquela secretaria se parece mais com uma pizzaria ou como uma churrascaria tamanho rodízio de seus titulares, é um secretário a noite e outro na manhã do dia seguinte, mas até agora não construíram sequer um posto de saúde, apenas pintaram os muitos implantados pelo nosso ex-secretário Luíz Junior”.

“Eu apresentarei nesta casa título ao secretário que tiver pelo menos a competência de reabrir o hospital HGM que se encontra fechado há dois anos e três meses e entregar ao povo”, garantiu.

O vereador finalizou o seu pronunciamento desejando mais uma vez “bom trabalho ao superintendente de Acompanhamento de Rede de Saúde Luíz Júnior e que seja sempre essa pessoa destemida e corajosa, e tenho certeza que vai contribuir muito com a saúde do nosso estado ao lado dos demais secretários e do nosso governador, fica aqui a nossa gratidão pela dedicação ao grande trabalho desenvolvido em nosso município, tendo sido inclusive reconhecido com o título de cidadania coroataense”, finalizou.

quarta-feira, 25 de março de 2015

Record mostra extrema pobreza deixada pela oligarquia Sarney no MA

Saiba como ter gratuidade na carteira de habilitação no Maranhão



Dois mil jovens de escolas públicas na faixa etária de 18 a 21 anos serão beneficiados pelo programa ‘CNH Jovem’, sancionado na manhã desta terça-feira (24) pelo governador Flávio Dino. Na cerimônia, a secretaria de Juventude, o Detran-MA e organizações juvenis prestigiaram este importante passo que reduzirá o índice de mortes de trânsito e ainda, garantirá o exercício da cidadania para que os jovens entrem habilitado no mercado de trabalho.

O governador explicou que o programa traz diversos benefícios para os jovens participantes, um deles é remover o obstáculo financeiro que existe para obter a carteira de motorista. “Atualmente, a carteira de motorista custa quase R$2mil, um valor muito alto para o jovem que estudou em escola pública. Além deste auxílio financeiro, o CNH Jovem significa uma ação preventiva em relação à violência no trânsito. Em segundo lugar, abrimos caminho também para que o jovem possa ingressar no mercado de trabalho que exige habilitação”, assinalou o governador.

O diretor do Detran, Antônio Nunes, disse que até o segundo semestre o programa ‘CNH Jovem’ será implantado. “Serão investidos mais de R$ 3 milhões no processo todo. O órgão vai preparar o setor de informática para receber as solicitações e também faremos o levantamento de sistemas com as instituições de ensino para saber os melhores colocados no Enem”, frisou o diretor Antônio Nunes.

Jovens engajados
Durante a cerimônia, Flávio Dino pediu o engajamento da juventude para participar das eleições de diretores de escolas, no ‘Mais IDH’ e no programa ‘CNH Jovem’. “São 30 municípios que precisam da presença dos jovens na superação da realidade crítica das localidades com baixos índices de educação e saúde. Os jovens precisam participar ativamente dos mutirões”.

Com relação à eleição de diretores, o governador Flávio Dino assinalou a importância da participação ativa dos pais, alunos e professores. “A eleição será um instrumento de controle de qualidade das escolas”, explicou.

O jovem Milson Gegató, do Fórum de Juventude Negra, explicou que a juventude também estará engajada para modificar a realidade social do estado. “Vejo o governo preocupado com a vida daqueles que serão o futuro do Maranhão. Peço que todos participem do programa, das eleições nas escolas e, principalmente, do ‘Mais IDH’”. Ele completou ainda, “o CNH Jovem nos trará uma nova realidade, diferente desta em que todo dia vemos a morte de jovens por imprudência no trânsito”.

Ações para a juventude

Durante o evento foram relembradas as ações concretas do Estado que beneficiarão a juventude maranhense. Entre essas ações, o programa ‘Escola Digna’ que pretende substituir as escolas de taipa e palha do Maranhão, garantindo melhores condições de aprendizagem aos estudantes da rede pública estadual.

Para tanto, o governador informou que as escolas receberão um investimento de R$500 milhões para a substituição das unidades de taipa e a construção de 20 escolas técnicas. “Os jovens fazem a parte deles participando das eleições e o estado se preocupa em investir na infraestrutura das escolas”, disse o governador.

A secretária Tatiana Pereira explicou que estão sendo articuladas ações em vários âmbitos para garantir melhores condições de vida aos jovens maranhenses. “Todos os esforços governamentais indicam que a juventude do nosso estado é prioridade. Nosso governador Flávio Dino demonstra, com isso, grande preocupação com o futuro do nosso Maranhão”.

O CNH

O custeio da emissão de PD e CNH no Maranhão, atualmente, varia entre R$ 1.200 e R$ 2.000. Com a eliminação destes custos, além de facilitar o acesso dos jovens ao mercado de trabalho, o programa terá papel importante na garantia da segurança do trânsito.

Atualmente, a frota do estado conta com 1,3 milhão de veículos, sendo que apenas 700 mil habitantes estão habilitados. Com o programa será possível ainda reduzir a ilegalidade e, consequentemente, reduzir a quantidade de acidentes.

Requisitos
Para ter acesso à gratuidade, os jovens precisam ter idade entre 18 e 21 anos e ter cursado as três últimas séries do ensino médio em escola pública. Pelo programa, 50% das vagas serão destinadas aos inscritos com melhores pontuações no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) realizado no ano anterior e as outras 50% serão distribuídas por sorteio.
Inicialmente, o programa abrangerá os 54 municípios maranhenses que estão incluídos no Sistema Nacional de Trânsito e é válido para emissões de PD e CNH nas categorias A, B e AB.

segunda-feira, 23 de março de 2015

PDT Nacional abraça projeto de Rosângela Curado em Imperatriz



A Executiva Nacional do Partido Democrático Trabalhista (PDT) vai confirmar próximo das eleições o nome da subsecretária de Saúde, Rosangela Curado, como pré-candidata do partido a Prefeitura de Imperatriz.

Curado deve ser ungida pela legenda como primeira entre os pré-candidatos com o aval da Executiva Nacional de seu partido para disputar a vaga, com apoio do deputado federal Weverton Rocha.

O presidente nacional do PDT, Carlos Lupi e membros da Executiva Nacional do partido confirmaram durante reunião, que vão abraçar o projeto da pré-candidatura na segunda maior cidade do Maranhão.

Durante a reunião, foi anunciado a participação de Rosangela Curado como integrante da Executiva Nacional do PDT.

E agora Ricardo? Professores vão às ruas em protesto a Teresa Murad em Coroatá


Por Samuel Bastos, do  Portal Gaditas.

Como não poderia deixar de ser o ex-deputado Ricardo Murad (PMDB) parece ser adepto a máxima do casa de ferreiro espeto de pau, ou melhor, do faça o que eu digo mas não faça o que eu faço.

Mais incomodado com a gestão do governador Flávio Dino do que com sua própria vida, o ex-Secretário de Saúde está uma pilha de nervos e também pudera. Foram quase 5 anos de reuniões no Hotel Luzeiros, helicóptero a disposição e o comando de um dos maiores orçamentos do Estado que foram perdidos do dia para a noite.

Quem olha o Facebook de “tratorzão” até pensa que em Coroatá, cidade administrada pela mulher de Ricardo é uma vitrine de boa gestão. Nadica de nada! Os professores da rede municipal tiveram que paralisar as aulas nos dias 18, 19 e 20 deste mês para cobrar respeito da peemedebista.

Para se ter uma idéia do caos na gestão de Teresa, os professores se mantém com salários congelados há dois anos e por incrível que pareça a cidade está tão atrasada a nível de respeito a classe do magistério, que sequer dispõe de um Plano de Cargos, Carreira e Salários.

Já que responde pela Secretaria Extraordinária de Inovação e Modernização e fala tanto em respeito aos trabalhadores, Murad deveria deixar o discurso de gogogó de lado e “ensinar” a mulher a respeitar a sofrida classe de professores.

Utilizar as redes sociais para dizer o que os outros tem que fazer é fácil, quero ver é na prática fazer.

É muita falta de óleo de péroba!

sexta-feira, 20 de março de 2015

Fábio Braga protocola pedido de sinalização da estrada Coroatá-Vargem Grande

Deputado Fábio Braga em visita a rodovia.
O deputado estadual Fábio Braga (PTdoB) protocolou indicação na Assembleia Legislativa, já encaminhada ao secretário de Estado de Infraestrutura, Clayton Noleto, pedindo, em caráter de urgência, a sinalização horizontal e vertical da MA-020, entre Vargem Grande e Coroatá.

Na indicação, o deputado Fábio Braga esclarece ao secretário Clayton Noleto que o serviço de sinalização é muito importante, porque MA-020 é uma rodovia intermunicipal que registra um intenso tráfego de veículos leves, pesados, motocicletas e pedestres. Que nesse período chuvoso fica ainda mais perigoso, sem as devidas sinalizações.

Para Fábio Braga, a MA-020 é importante porque possibilita o abastecimento de produtos para o comércio dos municípios da Mesorregião Leste Maranhense, onde residem milhares de famílias, que enfrentam transtornos pela falta da sinalização da rodovia.

Fábio Braga disse que aposta na sensibilidade do secretário Clayton Noleto, que orientado pela determinação do governador Flávio Dino de recuperar a malha viária, atenderá o pleito da população da região.

quarta-feira, 18 de março de 2015

Maranhão vai receber mais R$ 88 milhões para investir em saúde



A saúde pública do Maranhão receberá este ano mais R$ 88.252.000 em investimentos, além do que já estava previsto. Na votação do Orçamento da União, na noite de terça-feira (18) no Congresso Nacional, o Estado foi beneficiado com o aumento do valor para o atendimento de média e alta complexidade em todo o Maranhão. Os recursos serão destinados ao Governo do Estado e aos Municípios que prestam este tipo de serviço à população.

 No mês de fevereiro, Flávio Dino e os parlamentares maranhenses se reuniram para definir as prioridades para o estado, antes da votação do orçamento. O Governo do Maranhão, a partir do diálogo constante do governador Flávio Dino, do vice-governador Carlos Brandão e dos secretários estaduais com a bancada maranhense, definiu a saúde como tema de primeira ordem. Na noite de terça, se confirmou a ampliação no orçamento da saúde pública destinado ao estado. O investimento do Governo Federal passou de R$ 978.385.000 para R$ 1.066.637.000.

 Com isso, o Maranhão passa a crescer na distribuição per capta do financiamento do Sistema Único de Saúde. Com o valor anterior, o repasse per capta ao Estado diminuía em relação a 2014, quando o sistema repassava R$ 142 para cada usuário em potencial. Na previsão anterior, o valor do repasse cairia para R$ 141 por pessoa. A união da bancada maranhense em torno da saúde garantiu que o valor subisse para R$ 160 per capita.

 O coordenador da bancada federal, Pedro Fernandes (PTB-MA) comemorou a vitória alcançada com a articulação de todas as forças políticas em torno de um mesmo propósito. Como representante na Comissão de Orçamento da Câmara Federal, o parlamentar garante que os representantes do Maranhão seguem no desafio de colocar o estado na média nacional do financiamento da saúde pública.

Para o vice-presidente da Câmara dos Deputados, Waldir Maranhão (PP-MA), esta vitória representa um marco na mobilização de esforços de todas as forças políticas para diminuir as desigualdades sociais existentes no Maranhão. “Com esse aumento, colocamos o Maranhão em um patamar mais favorável de políticas públicas, posicionando o cidadão como o centro da ação política”, disse.

 Waldir Maranhão destacou ainda a sensibilidade do Governo do Estado para a melhoria da prestação de serviços da rede estadual de saúde e relatou o papel de articulação empreendido pelo governador para que os próximos quatro anos sejam marcados pela sensível melhoria da prestação de serviço de atendimento médico. 

“O governador Flávio Dino mostrou sensibilidade e firmeza para conduzir o processo junto conosco. Essa unidade em torno de pautas em benefício do Maranhão tem como cerne melhorar os indicadores sociais do estado”, comentou o parlamentar.

O trabalho constante junto à Secretaria de Estado da Saúde para atualização dos cadastros no Governo Federal devem ser intensificados nos próximos meses. Segundo Pedro Fernandes, o contato com o secretário da pasta, Marcos Pacheco, tem permitido que os projetos do Maranhão sejam apresentados com maior ênfase no Congresso e junto à União.

Governo Flávio Dino paga R$ 150 milhões em dívidas deixadas por Ricardo Murad

O novo governo já pagou uma dívida de R$ 150 milhões por suspensão de repasses feita ainda na antiga gestão da Secretaria de Saúde, que era controlada por Ricardo Murad. Só da pasta do cunhado de Roseana Sarney, o governo herdou dívida de R$ 184 milhões por não quitação de débitos contraídos com diversos tipos de contratação e transferências.

Logo de cara, o novo Governo do Estado teve de arcar com dívidas milionárias herdadas de Roseana e Ricardo. Após o resultado das eleições em outubro de 2014, os débitos na pasta passaram a se acumular, chegando a R$ 184 milhões. Além da suspensão de repasses para municípios, houve também paralisação no pagamento de serviços prestados de diversas ordens – desde engenharia até contratação de médicos, enfermeiros e outros serviços.

A reclamação pelo não pagamento começou ainda em 2014, a partir do período de transição do governo de Roseana Sarney para a administração de Flávio Dino. Os repasses para manter em dia a ordem de pagamento do Estado têm demandado grande esforço da nova administração da Secretaria de Saúde, sob coordenação do médico Marcos Pacheco, que realiza pagamento dos serviços prestados a partir de 1º de janeiro de 2015, sem registro de atraso, mas também compensando os pagamentos que deixaram de ser feitos pela gestão de Murad.

No meio do caos deixado propositadamente por Murad, fica claro que a intenção do cunhado de Roseana foi fazer um verdadeiro boicote ao Maranhão. No entanto, a nova equipe garantiu, com trabalho permanente, a quitação dos calotes deixados pelo ex-todo poderoso.

Blog do Garrone.

Secretário de Saúde do estado deixa Andrea Murad sem palavras na ALEMA

 
Quase 30 deputados prestigiaram a palestra feita pelo secretário de Saúde do Estado, Marcos Pacheco, nesta terça-feira (17), na Assembleia Legislativa, sobre as ações da pasta e o que o governo pretende fazer para melhorar o atendimento hospitalar e preventivo. Pacheco disse que “só construir hospitais não resolve o problema, é preciso investir em medicina preventiva e fazer gestão de qualidade”.

A audiência foi solicitada pelo presidente da Comissão de Saúde da Assembleia, deputado Stênio Rezende (PRTB), e foi prestigiada pelo presidente em exercício da AL, Othelino Neto (PCdoB); o líder do Governo, Rogério Cafeteria (PSC); o líder do PMDB, Roberto Costa; outros integrantes da Comissão de Saúde (Dr. Levy, Andréa Murad, Fábio Braga, Antônio Pereira e Ricardo Rios); e deputados como Valéria Macedo (PDT), Souza Neto (PTN), Adriano Sarney (PV) e Rigo Teles (PV), entre outros.

O secretário bateu bastante na tecla de que fazer medicina preventiva reduz custos com a saúde porque evita que a população fique doente ou que a doença progrida. Marcos Pacheco afirmou que tratar doente é caro, em torno de R$ 2,5 mil por dia numa UTI, enquanto fazer preventivo em alguém que tem pressão alta fica em torno de R$ 2 mil por mês.

Os deputados tiveram uma participação ativa durante a audiência, fazendo várias perguntas e avaliaram que a palestra foi importante para que tomassem conhecimento das ações que o Governo do Estado pretende executar. Marcos Pacheco disse também que é preciso ampliar a regionalização do atendimento para desafogar a rede hospitalar de São Luís. “Saúde se faz na comunidade, com prevenção primária e secundária”, garantiu.

O secretário revelou que a rede hospitalar atualmente é ampla, mas não tem recursos para mantê-la. O orçamento herdado do governo de Roseana Sarney reserva apenas R$ 6 milhões para ações de prevenção, mas o custo com a rede hospitalar chega a quase R$ 1 bilhão.

Pacheco defendeu a decisão do Governo do Estado de liberar atendimento para todos nas UPAS. O secretário justificou a medida dizendo que “a população não quer saber se o hospital é municipal, estadual ou federal”.

“Precisamos ajudar os Socorrões de São Luís e trabalhar de forma integrada, independente das correntes políticas”, afirmou. “Precisamos investir e ampliar a regionalização, para evitar que os doentes venham para São Luís ou para Teresina”, garantiu.

“NÚMEROS QUE ENVERGONHAM”

O secretário de Saúde citou alguns números que “envergonham” o Estado. Disse, por exemplo, que a mortalidade infantil do Maranhão é a maior do país. São 26 mortes por mil nascimentos, por conta da falta de atendimento no pré-Natal.

Em São Luís, o índice é melhor: 18 mortes para cada mil nascimentos, em Santa Cataria são dez para mil nascimentos e em Cuba, quatro mortes para mil. “Precisamos chegar pelo menos ao índice de São Luís”, afirmou.

Outro índice que o Governo Flávio Dino quer mudar, de acordo com o secretário, diz respeito à morte de mulheres durante o parto. Marcos Pacheco contou que no ano passado 107 mulheres morreram por conta de complicações durante o parto. “A gravidez virou risco de morte”, alertou.

A deputada Andréa Murad fez 23 perguntas ao secretário de Saúde, principalmente em relação à suposta superlotação das UPAS e à falta de material hospitalar. Marcos Pacheco garantiu que não existe qualquer risco de haver greve no setor, porque os salários dos servidores das OCIPS estão em dia; disse desconhecer a falta de lençóis nas UPAS, mas que vai investigar; e afirmou que a superlotação das UPAS decorre de virose sazonal existente na cidade e porque o Governo do Estado liberou o atendimento para todos os tipos de doentes.

Os deputados destacaram o desempenho do secretário de Saúde durante a audiência por haver respondido a todas as perguntas e por ter se comprometido em melhorar a qualidade da saúde maranhense.

Da Agência Assembleia

terça-feira, 17 de março de 2015

Governo do Estado anuncia edital de concurso para contratação de Oscips



O governador Flávio Dino determinou a divulgação nesta semana do edital para o concurso de projetos em substituição às três Organizações da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscips) que, atualmente, prestam serviço à rede pública de saúde. O objetivo é reestruturar o sistema de convênios firmado por meio de Oscips, para contratação de médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e profissionais afins.

Após a divulgação do edital, a Secretaria Estadual de Saúde (SES) divulgará dentro dos trâmites legais, após 90 dias, o resultado do concurso. Com esta medida, as Oscips, selecionadas de maneira transparente, ajudarão a administrar os hospitais com qualidade para a população maranhense.

O governador Flávio Dino optou por uma seleção idônea e democrática. O sistema de Oscips será mantido até que o Estado tenha as condições necessárias para realização de um grande concurso público para contratação de profissionais da área de saúde - médicos, enfermeiros, técnicos em enfermagem entre outros. Há 20 anos, não ocorre certame na área.

“A realização do concurso de projetos é um passo importante para solucionarmos o caótico sistema de saúde que herdamos. Com critérios decentes e eficientes, vamos selecionar mais entidades prestadoras de serviço e assegurar serviços de saúde e atendimento de qualidade para aqueles que mais precisam”, afirmou o governador Flávio Dino.

Atrasado
Ainda em janeiro, o Governo do Estado realizou, integralmente, os pagamentos atrasados pelo governo passado das Oscips. Ao assumir a gestão, o governador Flávio Dino encontrou três contratos vigentes, com as Oscips Bem Viver, ICN e IDAC.

Os pagamentos deixaram de ser realizados no período de 16 de novembro a 15 de dezembro, quando cerca de 11 mil profissionais da saúde ficaram sem salários. E coube ao atual governo quitar os débitos.

Oscips
As Oscips são Organizações Não Governamentais (ONGs) criadas pela iniciativa privada que obtêm um certificado emitido pelo poder público federal. A lei que regula as Oscips é a de nº 9.790, de 23 de março de 1999, que exige transparência administrativa no funcionamento das mesmas. Em geral, estão ligadas a algum segmento específico da sociedade civil.

Deputado Levi Pontes ressalta importância da medicina preventiva nos hospitais



O deputado Levi Pontes (SD), em pronunciamento feito na sessão desta terça-feira (17), ressaltou a importância da medicina preventiva para evitar a superlotação nos leitos dos hospitais em todo o país. Ao contrário da sua colega Andrea Murad (PMDB), que defende a adoção de medidas voltadas para o atendimento hospitalar de alta e média complexidade, o parlamentar entende que é através da atenção básica que a saúde dos brasileiros vai melhorar.

Ele lembrou que a Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Ministério da Saúde alertam que com as ações primárias, são resolvidos cerca de 80% de todos os problemas de saúde pública, daí a importância de se trabalhar na atenção básica.

“Hoje, no Maranhão, quatro pés são amputados por dia. No final do ano, mil pessoas são amputadas, diminuindo a sua capacidade de trabalho. Por que esses diabéticos chegam ao hospital dando prejuízo para todo o sistema, tornando o ser humano, pai de família, incapacitado? Porque não existe medicina primária”, alertou Levi Pontes.

Ao afirmar que não culpa o governo anterior pelo caos na saúde, o deputado disse que há uma distorção do modelo da saúde. Tanto que, segundo ele, as medicinas mundial e brasileira chegaram à conclusão, que deve haver mais investimentos na prevenção.

“A minha discussão é evitar que o paciente chegue ao hospital; chegue à UTI. Os prefeitos têm que entender, de uma vez por todas, que nós temos que investir em medicina. Foi um grande equívoco do passado, investir em hospitais. Todo prefeito quer um hospital, porque inaugurar é sempre bom, mas nós precisamos é de água potável e de saneamento básico para o nosso povo”, afirmou Levi Pontes.

Ao finalizar, o deputado disse que o grande segredo e o sucesso do século da Medicina é mudar o paradigma da saúde de que Estado bom, é o que tem hospitais; que tem UTI, pois esse não é esse o parâmetro que se usa no mundo. “O que eu quero é a mudança do paradigma de se fazer saúde, e não só construção de hospital e UTI. Isso é muito importante para os casos terminais, para os casos graves, mas nós queremos é evitar que estes pacientes cheguem lá”, assegurou Levi Pontes.

Em apartes Andrea Murad e Raimundo Cutrim (PCdoB), comentaram a fala de Levi Pontes. Andrea lembrou que a atenção básica é de responsabilidade do município e que ao Estado cabe oferecer o atendimento de média e alta complexidade. “Não sou contra o governo do Estado ajudar na atenção básica, mas desde que ele cumpra as suas obrigações. Flávio Dino não está conseguindo manter tudo que ele recebeu”, enfatizou Andrea Murad.

Já Raimundo Cutrim afirmou que a situação da saúde é grave e o Estado não tem condições de manter toda estrutura que foi montada na saúde, no governo passado. “A situação hoje da saúde, é crítica. É muito difícil para o Estado chegar e assumir uma estrutura gigantesca que foi, única e exclusivamente, montada para campanha eleitoral”, disse o deputado.

Bairro que tem o nome da prefeita sofre por falta de infraestrutura básica

Parece mentira, mas é a mais pua realidade! Nem o bairro que carrega o nome da atual prefeita de Coroatá, é visto pela gestão municipal, responsável pela infra-estrutura básica do local. O bairro "Teresa Murad" ou Vila Teresa Murad como é conhecido, sofre com esgoto a céu aberto, e muita lama por todos os lados.

Veja a situação do bairro que está mais sujo que a ficha da dona do nome!




Vereador Cássio aciona promotoria que obriga prefeitura construir novo posto na Macaúba



O vereador Cássio Reis, ferrenho defensor do povoado Macaúba, procurou o Ministério Público de Coroatá para denunciar a situação precária de como estavam sendo atendidos os moradores que procuravam o posto de saúde daquela localidade, Cássio informou ao MP que a obra do novo posto de saúde deveria ter sido entregue ainda no ano passado, pois o valor da obra já estava licitado e recurso garantido. Mas a prefeitura estava aguardando a aproximação das eleições para iniciar as obras.

O Ministério Publico acatou a denuncia do vereador e estabeleceu o prazo de 120 dias para o novo imóvel ser entregue ao povo da Macaúba. Logo no dia seguinte a prefeitura ja estava demolindo o prédio antigo para construir o novo!

 VEJA


segunda-feira, 16 de março de 2015

Domingos Alberto mostra prestigio e articula vinda de três secretários de estado a Coroatá



Quem pensava que o petista Domingos Alberto, dono de uma grande votação em 2012, estaria 'morto' politicamente, está completamente enganado. Domingos obteve 14 mil votos em 2012 em uma disputa dura com a esposa do então secretário de saúde do estado que obteve apenas 2 mil votos de diferença e venceu a disputa gastando milhões.

Em 2014, Domingos Alberto saiu vitorioso com seus candidatos a deputados, tanto Simplício Araújo (federal) quanto Bira do Pindaré (estadual) foram os mais votados no campo da oposição. Logo após, conseguiu na justiça com seus advogados, a cassação da prefeita por abuso de poder politico, ( que acabou voltando a ser prefeita por conta de liminar). 

Agora, Domingos Alberto articulou a vinda a Coroatá no ultimo final de semana de nada mais, nada menos do que três secretários de estado, para debater com trabalhadores rurais. Estiveram presentes Bira do Pindaré (Ciências e Tecnologia), Davi Telles (Presidente da CAEMA) e Adelmo Soares(Agriculta Familiar).

As demais lideranças da oposição coroataense também participaram do evento e além das presenças ilustres, Domingos levou uma multidão para recepciona-los, o que prova por A mais B que Domingos segue firme e forte na disputa pela prefeitura de Coroatá em 2016. É aguardar pra conferir!


Após pressão, prefeitura começa a recuperar bairro Palmeira Torta

Após os moradores denunciarem ao blog e aos outros meios de comunicação da cidade o descaso, a prefeitura resolveu não mais esperar o ano de eleição para recuperar o abandonado bairro Palmeira Torta. Desde o final de semana, maquinas são vista trabalhando no local!

Veja: