.

.

terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Denúncia - Professores da rede estadual utilizam atestados médicos "frios" para se ausentarem de salas de aulas

Segundo denúncias que chegaram a nossa redação, muitos professores da rede estadual de ensino, tidos como aliados ao governo municipal, aparecem com atestado para licença médica, alguns deles, inclusive, assinados por médico que aliou-se ao grupo da prefeita Teresa Murad (PMDB) após a derrota dos oposicionistas nas últimas eleições municipais, assim como autorizações expedidas pela professora Regina de Fátima, diretora da Gerência Regional de Educação - Região dos Cocais, o que permite até por longos períodos o afastamento destes da atividade escolar, o que prejudica ainda mais os estudantes, já tão carentes de mestres para muitas disciplinas nos últimos anos.

O mais curioso para estes que denunciaram, segundo relataram a nossa reportagem, é que neste mesmo período em que estas licenças são concedidas a estes profissionais os mesmos são vistos em seus perfis nas redes sociais passeando pelo país ou mesmo prestando serviços em outros municípios.

Um dos casos mais conhecidos entre os docentes, tem como personagem um conhecido professor de matemática lotado no CE Maria José Dias Trovão, que deixou o governo municipal ainda no início de 2013, após ser acusado de corrupção na Secretaria Municipal de Meio Ambiente da Prefeitura Municipal de Coroatá. Esta figura não frequenta a sala de aula para a qual foi nomeado desde o início deste ano, quando deu entrada aos seus três primeiros meses ininterruptos de licença utilizando-se de um atestado médico, desde então outros dois atestados idênticos foram apresentados, o último deles ao final de novembro, o que totalizará ao final do ano 9 (nove) meses de afastamento de suas atividades.

O que intriga ainda mais os colegas é o fato deste mesmo professor, que se diz muito enfermo (tendo em base os atestados apresentados), prestado serviços de docência em cursinho da capital neste mesmo período. Ao que parece, sua doença é aversão aos estudantes coroataenses (?!).

Segundo estas mesmas fontes, a delegacia do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Básica das Redes Públicas Estaduais e Municipais do Estado do Maranhão - SINPROESEMMA formulará, em breve, esta denúncia junto à Secretaria de Estado de Educação - SEDUC.

Nenhum comentário:

Postar um comentário