.

.

quinta-feira, 3 de julho de 2014

Ex-pupilo de Ricardo e sobrinho de Teresa Murad, Rômulo Augusto, na lista dos ficha-sujas do TCE/MA

Rominho, agora-ficha suja
Na lista a ser encaminhada pelo Tribunal de Conta do Estado do Maranhão – TCE/MA ao Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão- TRE/MA nesta sexta-feira, 04, estão os nomes dos gestores que estão inadimplentes e, portanto, configuram-se como “ficha-suja” e não poderão registrar sua candidatura nas eleições deste ano, se assim determinar o juiz eleitoral.

Entre os 3.410 (três mil, quatrocentos e dez) nomes da listagem encontra-se o do sobrinho da prefeita Teresa Murad (PMDB), que já foi o pupilo do deputado licenciado Ricardo Murad, o ex-prefeito de Coroatá, Rômulo Augusto. Rominho, como ficou conhecido por aqui, foi eleito prefeito de Coroatá pela primeira vez em 1996 e reeleito em 2000 sempre com o tema "vote Rominho, Ricardo continua".

Segundo a listagem divulgada, o ex-prefeito teve a sua Prestação Anual de Gestão referente ao ano de 1999 julgada "pela desaprovação" e a do ano de 2003 como "irregular" pelo plenário do TCE/MA.

Rômulo Augusto naquele período ficou famoso, sendo inclusive destaque em reportagem do jornal Folha de S. Paulo, pois enquanto era prefeito de Coroatá frequentava diariamente o seu curso de Engenharia na Universidade Mackenzie, leia clicando aqui (por favor não deixe de ler essa pérola do jornalismo), deixando a tarefa de governar para o tio e mentor político, o Ricardão. Dizem, inclusive à época, que antes de Rominho arrumar as malas e partir para outro estado, a 3.488 quilômetros de distância, deixava alguns papéis e cheques em brancos assinados para que fossem utilizados a bel-prazer pelo tio.

Não se sabe ao certo se o fato relatado acima é verídico ou muito menos se este sendo verídico seria o responsável pelas irregularidades administrativas que contribuíram para a recente decisão do órgão estadual que julga inadimplentes aqueles que costumam cometer deslizes no execício da administração pública, mas tem algum sentido.   

O agora ficha-suja Romulo Augusto deixou a política, acredita-se que definitivamente, ao final do seu segundo mandato no ano de 2004 para dedicar-se a profissão, a família e as muitas viagens ao exterior.