.

.

sexta-feira, 7 de março de 2014

Mais uma do aloprado Jorginho Murad, vice de Peritoró

O queridinho do tio
Voltando do merecido recesso carnavalesco não poderíamos deixar de noticiar um fato ocorrido em um dos primeiros dias da folia de Momo (sexta-feira, 28) na Churrascaria Alencar quando o vice-prefeito de Peritoró, Jorginho Murad (PMDB), sobrinho do secretário de Saúde e deputado licenciado Ricardo Murad (também do PMDB), mais uma vez armou um circo diante de centenas de pessoas.

Desta vez, Jorginho escolheu o vereador coroataense Cássio Reis (PSDB) para aparecer-se diante de todos os presentes no local, colocando o parlamentar em uma situação constrangedora diante de amigos, correligionários e conterrâneos.

No momento ocorria uma festa que reuniu diversos blocos carnavalescos, na qual encontravam-se populares e lideranças políticas municipais de oposição e governo, como o vereador Riba Maia (PSC), e o ilustre o deputado estadual Neto Evangelista (PSDB), que já havia deixado o local. Jorginho, que se encontrava por ali com seus amigos em completo estado de embriaguez, segundo relatos de testemunhas, dirigiu-se ao vereador Cássio e começou a provocá-lo, falando em voz alta e criticando a realização do evento.

Segundo relatou a nossa reportagem Cássio Reis, Jorginho disse que a família Murad manda em Coroatá e Peritoró e que futuramente será prefeito daquela cidade, em reposta o parlamentar disse que "a não ser que a partir desta data surgisse uma outra cidade chamada Peritoró onde ele pudesse vir a ser prefeito". O sobrinho de Ricardo chegou a dizer ainda que a vitória do seu grupo ao governo do estado é certa, pois nas eleições municipais foram gastos milhões e nas estaduais gastarão muitos bilhões para permanecer no poder, já que o seu tio Ricardo Murad possui a "chave dos cofres" da secretaria de Saúde e usará a máquina do governo para tal, desafiou, inclusive, o vereador tucano a fazer uma aposta milionária.

Em resposta, o vereador Cássio disse que os dias da família Sarney/Murad estão contados, já que o comunista Flávio Dino, embora não disponibilize da máquina do governo do estado para usá-la nas eleições, conta com algo mais importante e mais poderoso, que é o desejo dos maranhenses em derrubar a oligarquia. Foi neste momento que Jorginho Murad, demonstrando desespero e descontrole diante da possibilidade grandiosa da derrota, partiu para a agressão verbal ao vereador, dirigindo-lhe com uma expressão de baixo calão, tirando assim o vereador Cássio do sério, que se encontrando com um copo de cerveja não mão arremessou-o contra o vice-prefeito de Peritoró, dando-lhe um banho de cerveja. Então para não pegar uma "surra" na cidade comandada por sua tia Teresa Murad (PMDB), Jorginho deixou o local imediatamente e o vereador Cássio teve que ser contido pelos amigos e pelo seu colega de parlamento Riba Maia.

Ainda segundo testemunhas, que se encontravam na mesa de Jorginho, ao ver o vereador líder de governo Riba Maia conversando com seu colega de parlamento, ambos já haviam sido desrespeito com palavrões pelo vice-esquentadinho. Como sabemos, o sobrinho de Ricardo Murad tem se envolvido constantemente em confusões, pois, certamente, o fato de sua família se encontrar no poder o faz acreditar que seja superior e que seus atos não serão passíveis de punições por autoridades competentes.

Mesmo tendo começado a sua participação no carnaval coroataense com o "pé-esquerdo", o vice-prefeito de Peritoró seguiu todos os dias de folia na terra comandada a mão de ferro por sua família, demonstrando total desrespeito a cidade a qual deveria ajudar a administrar (Peritoró).