.

.

sexta-feira, 25 de maio de 2018

Mesmo com acordo, protestos continuam em todos os 14 pontos no Maranhão



O ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, anunciou acordo e a aceitação por parte dos caminhoneiros para o fim da paralisação da categoria que protesta em várias estradas do país por causa das altas dos combustíveis.

Nove das 11 entidades presentes aceitaram a proposta do Executivo, que prevê prazo de 30 dias para reajustes no preço do diesel. Esta era uma das principais demandas dos caminhoneiros, que queriam mais previsibilidade nos reajustes.

Mesmo assim, protestos seguem em 24 Estados do País. Problemas de desabastecimento de combustíveis prosseguem, o acesso ao porto de Santos continua bloqueado e a capital paulista não tem rodízio e nem coleta de lixo.

No Maranhão aumentou o número de caminhões na BR-135. Os manifestantes montaram tendas no canteiro central e eles mesmo orientam o trânsito na rodovia federal, único acesso à capital maranhense

Os caminhoneiros dizem que não vão aceitar a proposta feita ontem pelo governo. Isso significa que a greve da categoria continua por tempo indeterminado.

A Polícia Rodoviária Federal (PRF-MA) apontou 14 pontos de protestos de caminhoneiros nas rodovias federais que cortam o Maranhão, nesta sexta-feira (25).

Pontos de paralisação

– Imperatriz – BR-010, km 246

– Cidelândia – BR-010, km 299,5 Trecho Seco 299

– Estreito – BR-010, km 131

– Balsas – BR-230, km 396

– Balsas – BR-230, km 406

– Caxias – BR-316, km 544

– São Domingos do Azeitão – BR -230, km 216

– São Luís – BR-135, km 5, Oleama

– São Luís – km 2 do acesso da BR-135 (posto Paizão)

– São Luís – km 6 do acesso da BR-135, Vila Maranhão

– Grajaú – BR-226, km 413

– Açailândia – BR-222, Pequiá

– Bacabeira – BR-135, km 46

– São Luís – BR-135, km 16,2 do acesso (avenida dos Portugueses), em frente a Liquegás.

Nenhum comentário:

Postar um comentário