.

.

segunda-feira, 3 de agosto de 2015

Com 22 novos blocos de gás natural, Maranhão se destaca na produção de energia do Brasil

As recentes descobertas de novos blocos para exploração de gás natural no Maranhão trazem grandes perspectivas de investimento privado. Na semana que passou, a Agência Nacional de Petróleo e o Governo do Estado confirmaram, em solenidade oficial, o leilão de 22 blocos para exploração do potencial produtivo e posterior geração de energia, que correspondem a 15.483km² de extensão em território maranhense.

Considerada a nova fronteira da produção de energia através do gás natural, o Maranhão inicia um ciclo novo e crescente do papel estratégico para a produção de energia no país. Através de esforços feitos pela Agência Nacional de Petróleo com a contribuição da administração estadual, os novos territórios para captação energética no Maranhão serão licitados na 13ª rodada de negócios para a exploração de gás no Brasil.

O papel do território maranhense nesse contexto será de destaque, pois contará com o maior número de blocos disponibilizados na licitação. Através dela, empresas do ramo energético disputarão o direito de explorar o potencial do gás natural existente na Bacia do Parnaíba, trazendo para o estado e para os municípios saldo positivo na geração de receitas com os royalties. A licitação acontecerá no Rio de Janeiro, no dia 7 de outubro.

O potencial energético do Maranhão ganha destaque no país justamente num momento em que o Brasil vive uma crise de produção de energia elétrica, devido às secas rigorosas e prolongadas no Nordeste e no Sudeste, o que dificulta o funcionamento das usinas hidrelétricas. Por isso, a geração de energia através de outras fontes como o gás natural são cada vez mais valorizadas, para diminuir os impactos da diminuição do nível dos rios.

Hoje, o Maranhão produz 2 milhões de m³ de gás natural e, com os novos investimentos em construção a partir de 2015, chegará a 5 milhões de m³ a partir de 2016. Para esse crescimento, foi fundamental a declaração de comercialidade da Bacia Terrestre do Parnaíba, autorizada pelo governador Flávio Dino no mês de março.

Os novos leilões que acontecerão em outubro darão amplitude ainda maior para o Maranhão no cenário nacional da exploração de gás natural – com potencial ainda a ser dimensionado a partir das operações que se iniciam com a realização dos certames referentes aos 22 blocos.

Durante a solenidade ocorrida no Palácio dos Leões, Flávio Dino e Magda Chambriard, presidente da ANP, destacaram a posição de proa do Maranhão no cenário nacional para garantir produção de energia. Chambriard afirmou que o Maranhão é protagonista no planejamento nacional para a exploração de gás natural durante pelo menos os próximos 10 anos. “O Maranhão é estratégico para a produção de energia no país e cada vez mais se destaca nesse papel”, disse a presidente da estatal.

Da parte do Governo do Estado, Flávio Dino afirmou que empreenderá esforços para a instalação de mais empresas de produção de energia, aumentando a geração de empregos locais. A garantia de um ambiente institucional saudável para os investidores e de formação de mão-de-obra especializada e apta para atuar no mercado de produção de energia.

“O que o Governo do Estado está atento desde já é fazer com que esses investimentos se transformem em desenvolvimento social, gerando emprego e renda para os maranhenses e não apenas para mão-de-obra de outros estados. Além, claro, de impulsionar a instalação de novas empresas, promovendo ambiente institucional saudável para investidores”, enfatizou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário