.

.

sexta-feira, 8 de maio de 2015

Eliziane Gama aperta e delator da Petrobras confirmar propina para Roseana e Lobão



O ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa reafirmou nesta terça-feira (5) que repassou propinas que variaram entre R$ 1 milhão e R$ 2 milhões ao senador Edison Lobão (PMDB-MA), quando o peemedebista era titular do Ministério de Minas e Energia.
 O ex-diretor reforçou ainda que o dinheiro também tinha como destinatária a então governadora do Maranhão Roseana Sarney (PMDB).

A declaração de Costa foi dada em resposta à deputada Eliziane Gama (PPS-MA), durante audiência pública realizada pela CPI da Petrobras da Câmara dos Deputados. "Como se deram estas conversas com o então ministro Edison Lobão e com a governadora Roseana Sarney? Qual o conteúdo destes encontros? Constou neste debate também o pagamento de propinas para a refinaria de Premium?", questionou a parlamentar.

"Fui numa reunião com o ministro Edison Lobão e ele me pediu recursos para ele e para a então governadora Roseana Sarney. Este pedido foi feito pelo ministro Lobão. Não sei se foi um milhão ou dois milhões, mas está na minha delação", afirmou Costa. A deputada do PPS também quis saber detalhes sobre uma afirmação feita no início do depoimento de Costa à CPI de que as indicações políticas para cargos da diretoria da Petrobras teriam se iniciado em 1985, início do governo de José Sarney. "Teria sido José Sarney, na década de 80, o grande estreante, aquele que criou todas as condições favoráveis para este esquema de corrupção bilionário que estamos vendo hoje na Petrobras?", perguntou.

 O ex-diretor da Petrobras afirmou que foi no governo de José Sarney que começaram as indicações políticas para as diretorias da Petrobras, mas não soube informar se o esquema de irregularidades em contratos já vigorava à época.

Assista ao vídeo

Nenhum comentário:

Postar um comentário