.

.

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Notas rápidas da última sessão ordinária deste ano

Cássio Reis, Marcelo Moura e Juscelino Araújo: oposição afinada na última sessão do ano
Férias à conta-gotas

O projeto de Lei do Executivo Municipal que diz antecipar 1/12 do 1/3 de férias dos Agentes Comunitários de Saúde – ACS, mas na verdade parcela mensalmente este benefício, foi discutido na sessão de hoje, 11. Em discurso Marcelo Moura (PTC) disse o fatiamento do 1/3 de férias dos ACS “apenas prejudica o conforto do funcionário em seu momento de férias” e pediu que a proposta fosse encaminhada para que fosse discutida cautela em comissões, mas teve seu pedido rejeitado em votação do plenário. Após o debate a proposta foi aprovada com a abstenção dos três oposicionistas presentes, sob a orientação do vereador Cássio Reis (PSDB), que fez vez de líder da sua bancada na ausência de Raimundo Diôgo (PT), e que entendeu a que a aprovação da matéria não beneficia os ACS.

Orçamento para 2015

Em seguida o plenário discutiu e aprovou por unanimidades dos 11 vereadores presentes, destes os oposicionistas Marcelo Moura, Cássio Reis e Juscelino Araújo (PT), o projeto de Lei Orçamentária Anual – LOA para 2015 que voltou da Comissão de Orçamento, Fiscalização, Obras Públicas e Planejamento com o voto favorável do relator lido pelo governista Jocimar Pereira (PMDB).

Presente natalino aos comissionados

O vereador Cássio Reis classificou como calote e enganação aos funcionários comissionados a redução de 25% do salário dado pela prefeita em exercício Neuza Muniz (PMDB) como presente de Natal. “Muitos acreditaram nas promessas de campanha, quando diziam que valorizariam o funcionalismo, assim como acreditaram que a redução imposta no início do mandato da prefeita Teresa Murad (PMDB) pudesse ser temporária, mas que com aprovação desta proposta se tornará permanente”, declarou o parlamentar que votou em seguida pela desaprovação do projeto juntamente com os colegas Marcelo Moura e Juscelino Araújo.

À flor-da-pele

A última sessão deste ano 2014 foi tumultuada, a começar por discussão acalorada entre os vereadores oposicionista e o presidente César Trovão (PV) que cassou o direito dos vereadores oposicionistas presentes se pronunciarem a respeito da permanência da redução do salário de servidores. Em dado momento um popular que acompanhava a sessão da galeria, que apresentou-se como estudante de direito, tentou invadir o plenário da Câmara esbravejando um suposto direito a manifestação, atendeu a pedido e desistiu da empreitada.

E por fim...

O presidente César Trovão, que não permaneceu até o final da sessão nomeou a comissão que será responsável por responder por aquela Casa durante o período de recesso, que será presidida pelo governista Jocimar Pereira e terá ainda como membros os parlamentares Wllisses Muniz (PMDB), Juscelino Araújo e Josean Veras (PSC).

Nenhum comentário:

Postar um comentário