.

.

domingo, 17 de agosto de 2014

Ricardo Murad realiza em Coroatá um comício sem público e diz que no próximo ano sua filha será oposição

Abra a foto em tamanho grande e observe bem
Uma outra foto tirada de trás é possível entender melhor

Iremos ilustrar esta matéria com uma foto retirada da página da própria candidata no Facebook para não restar absolutamente nenhuma dúvida sobre o que diremos aqui.

O comício realizado na noite de ontem, 16, pelo deputado licenciado e super-secretário Ricardo Murad para sua pupila Andrea Murad (PMDB) aspirante a deputada estadual foi um fracasso de público e quem disse isso não foram apenas os curiosos que votarão no comunista que estiveram por lá, mas muitos defensores da família que não conseguiam esconder a cara de decepção. Aliás, muito menos Ricardão que demonstrava um semblante de decepção e indignação, estando visivelmente irritado.

Pela primeira vez muitos coroataenses tiveram a oportunidade de escutar um discurso fraco, repetitivo e sem consistência da filha da prefeita Teresa Murad (PMDB), embora não fossem muitos que atenderam ao chamado insistente durante toda a semana, mas visível o desânimo dos poucos populares que lá estavam, dos funcionários da gestão presentes e até mesmo daqueles que receberam para balançar bandeiras e bater palmas, por várias vezes deixaram de responder aos estímulos dos candidatos.

Mesmo com muitos ônibus vindo de cidades vizinhas como Timbiras, Peritoró e Codó o público ficou além do esperado. Além da presença do candidato ao governo Lobinho Filho (PMDB), ao senado Gastão Vieira (PMDB) e do deputado de oito mandatos Zequinha Sarney (PV), que obteve 9.101 votos em Coroatá, mas que nunca fez nada por esta cidade, também esteve presente o prefeito de Codó, Zito Rolim (PV), prestigiou o evento.

O discurso do pai da candidata foi uma sequência de acusações infundadas contra o candidato da Coligação Todos Pelo Maranhão Flávio Dino (PCdoB) e por dois momentos disse claramente que este vencerá as eleições, deixando o candidato da Coligação Pra Frente Maranhão, Lobinho Filho, ali presente. Na primeira delas Ricardo disse que Flávio Dino quando assumir o governo fechará os hospitais das cidades de Peritoró e Coroatá, assim como a UPA, com a única intenção de despertar o terror e aversão dos presentes ao candidato comunista. Em um segundo momento do seu discurso o deputado disparou "Andrea será oposição na Assembléia no próximo, mas eu não aceito ser oposição, eu renuncio a minha carreira na política", declarou em tom desesperador.

Durante o discurso do secretário de Saúde mais se ouviu o nome de Flávio Dino que do seu correligionário e candidato a governo do estado pela coligação da filha, Lobinho.

O comício de ontem foi uma sequência de erros, como quando a candidata Andrea Murad diz que Gastão Vieira, o candidato ao Senado, quer mesmo é continuar sendo ministro do Turismo ou quando o mesmo Gastão fala, sob os olhares atônitos de Lobinho e Ricardão, que não se iguala a políticos "ficha-suja" e ainda da triste realidade educacional do estado, como se este fosse candidato por outra coligação.

Mas, o melhor do comício ocorreu mesmo fora dele. Um pouco antes de começar o comício, a mando de Ricardo, a Polícia Militar mandou que os som de todos os bares nas proximidades da praça fossem desligados, mas justamento no momento do discurso do deputado licenciado, um som foi ligado no último volume. Indignado o deputado disse raivosamente: "só vou continuar a falar quando desligarem aquele som, chama a polícia e manda prender" e todo o aparato de segurança particular da prefeita e seu esposo, além de babões e até advogados, correram na tentativa de fazer calar o barulho, mas não conseguiram de imediato forçando Ricardão a encerrar sua fala antes do programado e passar ao próximo orador.

O som que incomodava o secretário não era de ninguém menos do que de um dos seus maiores desafetos e também um dos poucos homens sob a face da Terra que tem coragem de lhe desafiar: Vitor Trovão Filho, o Vitinho, irmão de Teresa Murad, que recusava a todos custo deligar a sua carrocinha. Na tentativa de desligar os equipamentos terminaram por danificar os equipamento e Vitinho enganchou-se na porrada com um dos capangas da prefeita. Depois de muita confusão e duas equipes da polícia finalmente o som foi desligado e todos na redondeza puderam ouvir atentamente o discurso raivoso do playboyzinho brasiliense que quer ser governador.