.

.

terça-feira, 15 de abril de 2014

Exclusivo - Briga na família Murad, Andréa Murad será a candidata de Ricardo à Assembleia

Souza Neto e a esposa Tatiana: semeadores da discórdia
Ao contrário de que blogs da capital noticiaram nesta terça-feira, 15, a candidata do secretário de Saúde Ricardo Murad (PMDB) à Assembléia Legislativa não será a sua filha mais velha, Tatiana, porém a mais jovem Andréia Murad (PMDB), derrotada por Luís da Amovelar (PT) nas eleições de 2004, o que tem causado muita discórdia no seio da família Murad, segundo confirmou ao Coroatá de Verdade fontes fidedignas muito próximas à cúpula do clã Murad/Sarney.

O genro de Murad  ex-secretário adjunto de Juventude do Governo do Estado, Francisco de Souza Dias Neto, conhecido no meio político apenas como Sousa Neto, esposo de Tatiana está sendo o grande pivô da discórdia, é o que confirmam aliados ouvidos por nossa fonte.

Andrea Murad, a candidata.
A candidatura de Andréia Murad  para substituir o pai na Assembléia já é do conhecimento de toda a família e aliados mais próximos. A escolha do nome ocorreu após sondagem realizada pelo presidente da Câmara Municipal, César Trovão (PV), entre os vereadores da Bancada de Governo e a "boca-miúda" entre os populares coroataenses. Segundo a sondagem realizada discretamente à pedido de Ricardo Murad o nome de Andréa foi o mais bem aceito tanto pelos parlamentares quanto pelos poucos populares consultados, por isso o deputado licenciado optou por esta, minando assim os planos do seu genro Sousa Neto, que gostaria de ver a esposa deputada.

Aliás, pessoas muito próximas de Ricardo e Teresa Murad (PMDB) afirmam que a decisão ainda não foi anunciada publicamente porque estaria o chefão estaria tentando resolver o impasse causado pelo genro Sousa Neto, que não abre mão do seu projeto político e  como não sendo o escolhido pelo sogro, insiste para que a sua mulher Tatiana seja a candidata. A estratégia de Souza Neto é a garantia para que em um futuro não muito distante, logo ali em 2016, a sua esposa, uma vez eleita deputada, o ajudaria a chegar a prefeitura do município de Santa Inês, onde foi candidato a vice na chapa derrotada nas últimas eleições.

Souza Neto acha que Murad tem que compensá-lo por ter abandonado seus padrinho político de muitos anos, o hoje senador João Alberto ao casar-se com sua filha. Mas Ricardo não deverá abrir mão da candidatura de Andréia, mas para tanto terá de apagar o fogo dentro de casa.

Para Ricardão, Andréa "conquistou" a simpatia da população quando foi candidata a prefeita de Coroatá, o contrário de Tatiana que, ainda segundo a mesma fonte, na sua passagem pela cidade teria deixado a marca da arrogância e da prepotência, além de ser conhecida pelas festas organizadas por ela no Sítio Cajueiro enquanto coordenava (da "boca pra fora") a campanha do pai. O deputado licenciado e secretário mais poderoso do Governo Estado teria ficado traumatizado com este comportamento da filha mais velha e contrário da ex-candidata a prefeita de Coroatá que é reservada e de mais fácil trato com o povo.

A decisão do chefão acerca da candidatura de Andréia foi comemorada pelos funcionários mais próximos da prefeitura Teresa Murad, pois segundo as nossas fontes, estes não guardam boas recordações de Tatiana e todos estariam no olho da rua, a começar pela "secretária-pessoal" toda poderosa da prefeita, que um dia já foi sua escudeira e sabe todos os seus "podres".

O presidente da Câmara e tio de Andréia, César Trovão, é outro que não esconde a sua preferência pela sobrinha mais nova.

E por fim: Andréia Murad, para quem não sabe, já foi esposa do ex-jogado de da seleção brasileira de Handball, China Barros, que hoje cumula em solo coroataense a função de secretário em duas pastas (Casa Civil e Esporte), com quem a loira teve uma única filha.