.

.

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Empresa contratada para asfaltar Novo Areal assume a incompetência e falta de planejamento

A página da Prefeitura Municipal de Coroatá divulgou recentemente uma justificativa da empresa responsável pela execução da obra de asfaltamento no Bairro Novo Areal, a Transportes e Construções LTDA - TAC, segundo o engenheiro encarregado, Luis Sergio Ribeiro, o asfaltamento naquele bairro, mais especificamente na Rua São Francisco, atrasou devido problemas que o solo do lugar oferece que, curiosamente, somente agora descobriram, o que demonstra que não houve planejamento e estudo do solo onde a obra seria executada.

Ainda na mesa nota, que pode ser lida clicando aqui, o projeto original a rua receberia a aplicação da piçarra de forma normal e em seguida seria feita a compactação do material para que fosse aplicado o asfalto, mas por consequência da irresponsabilidade da empresa executora, o esperado não aconteceu, o que significa que todo o esforço e material empregado foi DESPERDIÇADO, pois, frisa-se (segundo a página) "tudo devido a um fator, o solo, que não oferecia condições para a execução do trabalho".

Seria cômico, se não fosse trágico!!!

Leia um outro trecho da postagem:
"O problema é que com o início das chuvas foi observado que todo material aplicado não se estabilizava, ou seja, não estava aderindo ao chão para que fosse feita compactação, além das águas das chuvas existe também o problema das águas residuais que são os esgotos das casas dos moradores do bairro e que junto com as águas das chuvas acabam abrindo erosões em toda extensão da rua. Como a Rua São Francisco é a mais baixa de todo bairro ela acaba recebendo todo esgoto e resíduos e já que sua topografia é muito plana toda essa água demora a ser escoada, causando assim o seu acumulo debaixo do solo e trazendo problemas como uma superfície em falso. Tudo isso impede a estabilização e compactação do material para receber o asfalto".
Somente agora, depois de tempo e material desperdiçado os engenheiros descobriram que, além do solo, o período chuvoso em que as obras seriam executadas atrapalharia a sua conclusão, mas não para por aí, leiamos outro trecho:
"Tendo observado todo problema que tem atrasado a obra, a Prefeitura e a Empresa encarregada de executar a obra chegaram a um entendimento de que a única forma de se resolver esse problema, seria com uma drenagem profunda do local, e só depois disso se faria a aplicação do material e sua compactação para em seguida se aplicar a camada asfáltica".
O que significará um novo prazo será estabelecido e que haverá um aumento nos gastos para cobrir as "adequações" necessárias para sanar os problemas que descobriram no decorrer das obras.