.

.

.

.

terça-feira, 17 de setembro de 2013

Cidade com "saúde britânica" terá médicos cubanos

Conforme informações divulgadas ontem (16) na página do Ministério da Saúde, a cidade comandada "com mãos-de-ferro" pela esposa do secretário de estado de Saúde, Ricardo Murad, a senhora Teresa Trovão (PMDB), receberá, injustamente, dois dos 37 médicos estrangeiros que virão ao estado como parte do programa desenvolvido pelo governo federal sob a nomenclatura de Mais Médicos. Mas, é claro, que Ricardo, um dos chefões da oligarquia que há mais meio século assola o Maranhão, não poderia deixar passar a oportunidade de mais uma vez voltar os olhos da mídia e da população, de  quem espera arrancar milhares de votos nas eleições vindouras, para a cidade que ele acredita ser o seu "curral eleitoral".

Digo injustamente, pois acredito que um cidade onde é conhecida nacionalmente por seu sistema público de saúde ter recebido o apelidado de "SUS Britânco" do próprio comandante da pasta, não necessite de mais este apoio do governo federal, especialmente diante das necessidade de milhares de outros maranhenses que residem em centenas de outros municípios que, como costumeiramente a mídia nacional tem mostrado, sobrevivem em estado de miséria.

Ainda bem que em relação a vinda dos profissionais a nossa cidade temos um boa notícia, aliás ótima. Para o que desconhecem os dois médico que servirão ao município de Coroatá são oriundos do vizinho país Cuba, que, como é do conhecimento de todos, vive há mais de cinco décadas sob o manto do comunismo, fruto da Revolução Cubana protagonizada pelas classe populares, em especial os camponeses. Sendo assim espero que os camaradas que aprenderam medicina nos bancos das universidades comunistas, famosas em todo o mundo pela qualidade de ensino e dos profissionais que são emanados dos seus corredores, possam ensinar à oligarquia Trovão/Murad/Sarney algo sobre este regime político e sua importância para o desenvolvimento das classe populares.

Comunista, sim, senhor!