.

.

quarta-feira, 17 de outubro de 2018

Zé Reinaldo culpa Roberto Rocha por sua derrota na disputa pelo Senado



Em artigo publicado nesta terça-feira, 16, o deputado federal Zé Reinaldo (PSDB) explicou os motivos do seu pífio desempenho na disputa pelo Senado Federal. Ele culpou o presidente do seu partido, Roberto Rocha (PSDB), pela derrota e pelo isolamento tucano em todas as eleições.

Defensor, desde o início da candidatura de Eduardo Braide (PMN) ao governo, Zé Reinaldo afirmou que Roberto Rocha não aceitou as suas ponderações, e que isso foi determinante para a acachapante vitória do grupo liderado pelo governador Flávio Dino (PCdoB).

“Eu e amigos discutimos a possibilidade de uma chapa com Eduardo Braide, com base em pesquisas qualitativas. Quase deu certo, despertou enorme curiosidade e simpatia, levando receio do ‘novo’ a outras candidaturas ditas mais fortes. Isso pesou tanto que fez com que Braide não conseguisse um grande partido, com tempo de televisão, levando-o a não querer se arriscar e acabou que ele, no final, preferiu concorrer a deputado federal. Essa foi a decisão dele”, explicou.

“Depois conversei longamente com Roberto Rocha, sugerindo a ele abraçar a candidatura de Braide no PSDB para depois construir a dele a governador, já que pelo meu modo de entender o momento não era o ideal para sua candidatura ao governo do Estado. Ele não aceitou minhas ponderações e manteve a candidatura. Ali se acabou a chance de termos no Maranhão uma eleição equilibrada ao Governo e ao Senado. Flávio tem sorte, além de ter tido competência para manobrar bem a estrutura disponível e não teve problemas para ganhar e eleger seus candidatos a senador”, disse Zé Reinaldo.

O ex-governador afirmou ainda que a sua candidatura ao Senado tinha uma chapa montada, “politicamente forte, o que me dava uma chance mínima de ganhar. Mas eis que na véspera da convenção, Roberto Rocha, com apoio do partido no estado, resolveu se intrometer em minha chapa, exigindo a retirada do meu primeiro suplente de Caxias, o jovem, muito capaz, Catulé Junior. Como consequência inevitável, perdi Caxias, um dos maiores colégios eleitorais do estado que, com razão, abandonou minha candidatura causando imenso prejuízo político e eleitoral, influenciando negativamente líderes de outros municípios, tirando parte da consistência eleitoral da minha candidatura”.

Sobre as candidaturas do PSDB – tanto a de governador, quanto a de presidente do país – que, naturalmente, “seriam puxadoras de voto, caso tivessem expectativa de vitória, não vingaram, o que jogou por terra as minhas chances, já que no estado o PSDB ficou isolado, com uma chapa muito fraca, elegendo apenas um deputado estadual do partido. Madeira, grande líder do nosso partido, sofreu na carne o isolamento a que foi submetido”.

O desabafo de Zé Reinaldo expôs que a culpa do fracasso do PSDB – partido que cresceu muito nas mãos do vice-governador Carlos Brandão nos últimos anos – nas eleições de 2018 foi exclusivamente do senador Roberto Rocha. Triste fim para nomes como o do próprio ex-governador, Sebastião Madeira, Waldir Maranhão, Alexandre Almeida, a família Paz e tantos outros que caíram no conto de Asa de Avião.

Nenhum comentário:

Postar um comentário