.

.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Eleições 2018: Muitos candidatos, poucos com cacife



A cada dia aumenta o número de políticos no Maranhão que almejam disputar o Governo do Estado e até o Senado em 2018. Apesar da distância que ainda existe do pleito, a movimentação é frenética. Porém, aqueles que mais fazem barulho são justamente nomes sem qualquer tipo de cacife ou popularidade para almejar passo tão largo na carreira política.

Esses movimentos no campo oposicionista é natural, até pela falta de quadros capazes de enfrentar a chapa dinista. Pelo menos quatro nomes do grupo sarneysista já indicaram a intenção de buscar cargos majoritários em 2018. O suplente de senador Lobão Filho, derrotado por Flávio em 2014; Ricardo Murad e seus devaneios megalomaníacos; Roberto Rocha e sua volta às raízes com o desejo possessivo de chegar ao Palácio dos Leões e,finalmente, Roseana Sarney que cogita deixar a aposentadoria devido às suas pendências na justiça e a falta de políticos com prestígio em seu grupo.

O interessante é que mesmo com a decisão do PCdoB de transformar a reeleição de Flávio Dino como prioridade para 2018, alguns políticos do campos governista cogitam uma disputa ao Governo. Primeiro foi o secretário de Indústria e Comércio, Simplício Araújo, apesar de não conseguir se eleger deputado federal já almeja o Palácio dos Leões. Depois o ex-juiz Márlon Reis que entrou na política em outro dia desses, com discurso de ativista, mas agora sonha com o Governo ou Senado. Um passo de cada vez é o conselho mais recomendado.

Entre todos esses nomes existe algo em comum; a falta de coeficiente eleitoral. Talvez a ex-governadora Roseana seria a única com poder de voto para entrar em uma disputa com Flávio, mas diante dos escândalos de corrupção sua popularidade está comprometida e Sarney já teme uma vexame da filha, por isso aconselha para buscar vaga na Assembleia.

Para os governistas uma certeza, Dino é candidato a reeleição de qualquer jeito, pois este é o seu desejo e o do seu partido. Resta saber agora quem poderá enfrentá-lo com igualdade no pleito, ainda mais com uma gestão obtendo 62% de aprovação. Os nomes cogitados até agora possuem pouco cacife…

Nenhum comentário:

Postar um comentário