..

..

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Advogados de Murad tentam atrapalhar licitações da prefeitura através de empresa fantasma

Casa onde deveria funcionar a empresa, a dona da 'empresa' e os advogados de Murad.

Os Advogados Elias Moura Neto (Ex- procurador do município na gestão Murad) e Thiago Amorim (Ex-assessor jurídico) desde que a prefeitura de Coroatá publicou os avisos de licitações no Diário Oficial do Estado, vem tentando de todas as maneiras, atrapalhar o processo legal que está sendo realizado pelo município.

Elias e Tiago na semana passada simplesmente acionaram a justiça para que todas as licitações da prefeitura fossem suspensas e assim o processo fosse adiado, atrapalhando assim o bom andamento da prefeitura que acatou a decisão e adiou para o incio do mês o certame. Agora os mesmos advogados que não fazem questão de esconderem que estão a mando do seu chefe, mais uma vez tentam atrapalhar a nova gestão só que dessa vez utilizando meios totalmente ilegais e imorais.



EMPRESA FANTASMA

Os advogados na manhã desta quinta-feira, foram até a sala de licitação da prefeitura de Coroatá acompanhado de uma suposta empresária que se dizia interessada em participar simplesmente de todos os pregões abertos no momento que são 10, pela lógica a empresária precisaria então ter uma empresa 'multinacional' que ofereceria a prefeitura os serviços que vão de medicamento até combustíveis, acontece que em entrevista ao programa Canal Aberto, a mesma se disse apenas empresária do ramo de informática. Ela também disse que sua empresa funcionava em um bairro de Coroatá, mas não recordava o numero da sede de sua própria empresa, acreditem se quiser. O blog então resolveu ir até o endereço apontado como sede da referida empresa e se deparou com uma casa qualquer que não apresenta indicio algum de algum dia já ter funcionado alguma empresa de qualquer ramo no local, trata-se da casa de numero 382 na travessa da mangueira no centro da cidade, endereço que consta inclusive no CNPJ da mesma. Ou seja, a empresa pode ser considerada fantasma e seus representantes legais devem imediatamente serem acionados na justiça por crime que fere a lei de licitações.

SÓCIA DA EMPRESA É FUNCIONÁRIA PÚBLICA

Mais uma irregularidade que foi percebida pelo blog foi que a sócia da empresa a sra Dilceane de Aguiar Gomes é funcionária pública municipal da prefeitura de Coroatá, órgão que está realizando a licitação, ou seja, pela lei de licitações ela já estaria inabilitada pois O art. 9º da Lei 8666/93 “caput”, inciso III, determina que não poderá participar, direta ou indiretamente, da licitação ou da execução de obra ou serviço e do fornecimento de bens a eles necessários o servidor ou dirigente de órgão ou entidade contratante ou responsável pela licitação. 


Dilceane, sócia da empresa e funcionária da prefeitura.

Agora caberá a assessoria jurídica da prefeitura e a presidência da licitação municipal tomar as medidas cabíveis e judiciais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário