sábado, 6 de fevereiro de 2016

Enfermeira Tatiana desmente boatos sobre convite para dirigir Hospital Macrorregional

Tatiana Vasconcelos, coordenadora de enfermagem
Matéria maldosa divulgada esta semana nas páginas incentivadas pelo grupo de apoio ao governo da prefeita Teresa Murad (PMDB) e oposição ao governador Flávio Dino (PC do B) destacou que a enfermeira Tatiana Vasconcelos, atual coordenadora geral de enfermagem do Hospital Macrorregional, teria sido convidada para ocupar o cargo de diretora administrativo da unidade.

Além de pretender divulgar uma falsa discórdia dentro do grupo oposicionista, a matéria buscou colocar em cheque a competência da enfermeira e administradora para ocupar o cargo.

Em busca de esclarecimentos a nossa reportagem conversou com a Tatiana Vasconcelos que negou ter recebido até o momento o convite da Secretaria de Estado de Saúde do Maranhão (SES-MA) para ocupar o posto que se encontra vacante desde no ano passado.

Coroatá de Verdade (CV) – Você recebeu o convite para assumir a direção administrativa do Hospital Macrorregional ou não passa de especulações da imprensa local?

Tatiana Vasconcelos (TV) – Até o momento não recebi nenhum convite da SES, embora tenha sido surpreendida na quarta-feira, 04, por várias mensagens e ligação de amigos e colegas de outras unidades me parabenizando pelo que seria a minha condução ao cargo, mas reitero que não há nenhum convite oficial até o momento, o que posso afirmar é sou a coordenadora de enfermagem da unidade.

CV – O que você tem a comentar sobre a matéria mentirosa e caluniosa divulgada pelos blogs da oposição?

TV – Vivemos numa cidade politizada que o grupo dominante no poder executivo e na imprensa faz oposição ao governo do estado, portanto não podemos esperar outro comportamento deles, o que me estranharia seria ser elogiada por eles. Recentemente ao ser anunciada para a coordenação de enfermagem usaram os mesmo argumentos e meios para duvidar da minha capacidade. Sou suspeita para falar de mim mesmo, porém com mais de doze meses à frente da equipe de enfermagem tenho sido elogiada pela equipe da secretaria e nas reuniões de diretores de unidades.

CV – O que você tem a dizer a essas pessoas maldosas que usam os meios de comunicação para lhe atacar?

TV – Eu diria a essas pessoas que, o tempo que ocupam para usar um importante meio de comunicação para denegrir a mim e a outras pessoas de bem deste município deveriam usar para fazer o que eu fiz, ou seja, estudei e me preparei para hoje me orgulhar de dizer que tenho duas formações em nível superior (Administração e Enfermagem) e estou cursando um mestrado (Terapia Intensiva), assim estes poderiam ocupar cargos em nosso município ou estado. Não irei usar as minhas redes sociais para dar uma resposta a eles porque não irei me igualar ou me apequenar ao nível dessas pessoas, todos nos conhecemos nesta cidade para ver a posição que ocupo hoje diante destas que usam dessas ferramenta para nos atacar, o que eu gostaria é que estas pessoas deveriam resolver seus próprios problemas e frustrações e se livrar de uma dos sentimentos mais horríveis que um ser humano pode carregar com ele a inveja.

CV – E se o convite realmente vier qual será sua resposta?

TV – Não somente aceitaria como posso dizer a todos que estou preparada, pois a minha vida sempre foi pautada em desafios, nunca me amedrontei ou acovardei diante deles, estas são duas palavras (medo e covardia) as quais nunca fui apresentada e não conheço.

Um comentário:

  1. Prezados (as) Srs (as),

    É necessário que as mulheres em idade fértil sejam esclarecidas sobre os riscos do zika vírus e orientadas.

    É altamente recomendável que a gravidez seja evitada no momento.

    O problema é que muitas mulheres carentes engravidam de forma indesejada por não terem acesso à informação e aos métodos anticoncepcionais. Depois as mães carentes enfrentam diversas dificuldades para conseguir criar os filhos, sem acesso a saúde, educação e vida digna. Os filhos são os que mais sofrem no final.

    Médicos recomendam que mulheres evitem gravidez

    Em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo, o infectologista Artur Timerman, presidente da Sociedade Brasileira de Dengue e Arboviroses, desaconselha as mulheres a engravidarem agora, mesmo aquelas que moram em regiões sem surtos de zika.

    O presidente eleito da Federação dos Ginecologistas e Obstetras, Cesar Fernandes, ressalta que as mulheres que moram em regiões endêmicas para zika devem adotar “uma anticoncepção efetiva”. Já nas demais regiões “o princípio da precaução deve ser adotado”.

    http://opiniaoenoticia.com.br/brasil/medicos-recomendam-que-mulheres-evitem-gravidez/

    ResponderExcluir