.

.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

Suzano e Algar Agra: R$ 550 milhões, 1.200 novos empregos e mais desenvolvimento para o Maranhão



Os investimentos recém-anunciados pelas empresas Suzano Papel e Celulose e Algar Agro, mais do que ampliam o setor industrial no Estado: fomentam oportunidades e desenvolvimento para o Maranhão. Os impactos positivos a partir da ampliação da capacidade produtiva das empresas irão gerar inúmeros benefícios que vão desde a geração de emprego e renda a aquecimento da economia local.

Juntos, os projetos somam um investimento de R$ 550 milhões e a geração de 1.200 novos empregos diretos e 300 indiretos. Com a consolidação deste novo cenário de negócios, além de criar oportunidades para o trabalhador maranhense as iniciativas visam posicionar o Estado em um patamar mais competitivo na produção e oferta de bens e serviços.

Para a expansão da Unidade Industrial da Suzano no município de Imperatriz, com início de obras em janeiro de 2016, o investimento será de R$ 200 milhões. O anúncio foi feito pelo presidente da empresa Walter Schalka ao lado do governador Flávio Dino, em São Luís, em novembro.
Os ganhos ao município e à economia do Estado não param por aí. A empresa aplicará ainda um investimento equivalente a R$ 150 milhões para a implantação da fábrica de papel tipo Tissue em Imperatriz, para a produção de papel sanitário, com capacidade de aproximadamente 70 mil toneladas/ano e oferta de 500 empregos diretos.

A empresa se comprometeu ainda a participar do programa “Maranhão Mais Produtivo” priorizando a contratação de fornecedores de bens e serviços de empresas localizadas no Maranhão, visando fortalecer a econômica local, promovendo a substituição das importações interestaduais por meio da valorização do empreendedor do Estado, com foco na elevação da produtividade, estímulo à qualidade, inovação e sustentabilidade.

No mercado da soja, o investimento previsto pela Algar Agro é de R$ 200 milhões. O aporte será destinado à ampliação da unidade de processamento de soja, localizada no município de Porto Franco. A fábrica que atualmente processa 1.500 toneladas (t) por dia, atingirá a marca de 2.000 t/dia, um acréscimo de 500 t.

A parceria entre a companhia e o Governo do Estado prevê importantes iniciativas que irão beneficiar desde produtores rurais a fornecedores locais. Entre os objetivos da empreitada encontram-se investimentos em silvicultura (floresta de eucalipto) visando abastecimento de biomassa para a fábrica de Porto Franco; prioridade na contratação de fornecedores de bens e serviços de empresas localizadas no Estado, sempre que possível, e financiamento aos produtores rurais com o objetivo de desenvolver e ampliar a produção de grãos no Estado.

Para o secretário de Estado da Indústria e Comércio, Simplício Araújo, os investimentos da Algar e da Suzano acontecem no momento em que o Governo do Estado está trabalhando o adensamento de diversas cadeias produtivas, que são importantes para a retomada da produtividade do Maranhão. “Com os investimentos que serão feitos pela Suzano, tanto na ampliação da fábrica de Imperatriz, quanto na nova fábrica de papel, haverá um fortalecimento da cadeia produtiva do papel”, disse.

Com relação a Algar, que é a única esmagadora de soja do Estado, o secretário aponta que o investimento irá fomentar ainda mais a cadeia produtiva da soja, fazendo com que novos subprodutos, como por exemplo o farelo, sejam importantes para fomentar, também, as cadeias da avicultura, da psicultura e da carne e couro.

Adesão ao ‘Escola Digna’
Parte das ações do Executivo Estadual para ampliar o acesso aos direitos fundamentais e minimizar as desigualdades sociais no Maranhão, o programa ‘Escola Digna’, também foi contemplado com investimentos das companhias. Com a abertura do programa para recursos do setor privado, a Suzano e Algar Agro, juntas, irão beneficiar a educação estadual com a construção de três escolas, que serão doadas ao Governo do Estado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário