.

.

quarta-feira, 12 de agosto de 2015

ABSURDO! Teresa Murad demite professor concursado da prefeitura



A “guerra” entre Prefeitura e Professores concursados ganhou mais um capítulo no início desta semana. Tudo por conta de duas exonerações de servidores ligados ao Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Maranhão (SINPROESEMMA), de Coroatá, a professora Simone e o professor Celso Soares, um dos sindicalistas que sempre está à frente dos movimentos.

Celso Soares falou com a redação do Coroatá Online e lamentou a forma como a Prefeitura de Coroatá, através da Secretaria de Educação, vem agindo contra a classe de educadores. Ele contou ainda que tem provas, inclusive da direção da unidade onde trabalha, em que afirma que não há nenhum problema sobre o profissional e sim relações políticas.

“Nós hoje professores estamos passando por um decepção enorme. O fato da prefeitura ter exonerado eu e a professora Simone nos deixou muito triste com a realidade da gestão atual, porque quais os motivos que eles tem para ter feito isso? Se todos conhecem nosso trabalho, a comunidade inclusive se colocou contra essa atitude e já nos defendeu outras vezes, se a direção e nossos colegas sabem que estamos fazendo um trabalho correto, todos os dias na escola. A Prefeitura não pode avaliar é a nossa participação nos movimentos sindicais de reivindicações e sim nosso trabalho como educador. Que gestão é essa que não consegue ser questionada? Que não consegue ouvir? Essa é a resposta que ela dá pra nós? Nós temos provas que o que foi avaliado foi a questão política e não o trabalho que exercemos. Se a justiça da Prefeitura não funciona, vamos recorrer com um pedido de liminar pra suspender esse ato de exoneração e provar para toda a sociedade que nós temos o direito de lutar pelo que é nosso”.

Ao Programa Coroatá na TV, o professor Rodrigo, representando o SINPROESEMMA, teceu duras críticas à Prefeitura por avaliar os colegas arbitrariamente, e destacou que o processo foi feito de forma irregular.

“Esse é um ato nefasto tomado por parte da Prefeitura. Na verdade não é só o professor Celso e a professora Simone, muitos professores irão ser avaliados, creio que comigo também eles vão seguir a mesma linha, eu acredito que eles tomaram essa atitude de forma ilegal, até porque essa avaliação, permita-me a palavra, mas foi feita “nas coxas”, porque o processo de exoneração é uma sequência, o servidor precisa ser advertido, depois ter seu salário cortado, ser suspenso, pra depois entrar no processo de avaliação. Não existe isso de avaliar pessoas por suas características de lutas sindicais, apesar da Prefeitura não reconhecer, o SINPROESEMMA é sim reconhecido pela justiça e isso é o que importa. Os professores e o povo de Coroatá precisa ser tratado com respeito, porque desta forma como está, criando lista com professores para prejudicá-los, isso é uma piada. A nossa luta vai continuar e com essa atitude não iremos nos intimidar, ao contrário, vamos nos unir ainda mais”.

O sindicato estuda realizar na próxima semana um ato público em repúdio à decisão tomada pela Prefeitura de Coroatá e deve ir às ruas da cidade protestar.

Com informações do Coroatá Online.

Um comentário:

  1. Isso parece terrorismo que esses professores sofrem. Busquem seus direitos, vão ás ruas, se manifestem para garantir seus direitos. Quem é mais forte o povo ou duas pessoas que estão a beira da decadência política? Provem que o povo tem poder de botar e tirar do poder. Mostrem quem manda nessa cidade.

    ResponderExcluir