.

.

sexta-feira, 12 de junho de 2015

Deputado Stênio Rezende critica posicionamento de Andréa Murad sobre a saúde do Estado



O deputado Stênio Rezende (PRTB), em pronunciamento feito na sessão desta terça-feira, 9, discordou da sua colega Andréa Murad (PMDB), que criticou o atual sistema de saúde do governo do Maranhão.

Segundo Stênio Rezende o maior desafio do governador Flávio Dino (PCdoB) e do secretário de Saúde, Marcus Pacheco, é provar que é possível fazer saúde, com qualidade, diminuindo os recursos da pasta, de R$ 1 bilhão, para R$ 650 milhões.

“Não é fácil se fazer uma saúde com qualidade e ao alcance de todos com recursos próprios, poucos e pequenos. É difícil pegar um estado como o Maranhão, em que no ano anterior se gastou mais de RS 1 bilhão de na saúde”, afirmou Stênio Rezende, afirmando que as Secretaria de Obras, de Educação e a de Segurança Pública, por exemplo, não tiveram capacidade de investimento com recursos do tesouro do Estado, haja vista que toda a capacidade de investimento voltada para a saúde do estado, através da Secretaria de Saúde.

Stênio Rezende destacou que nesses cinco primeiros meses a Secretaria de Saúde já licitou e colocou em prática várias firmas, como a OSCIPS e a OSS, para tomarem conta da saúde do estado do Maranhão. Sendo que o maior desafio dessas empresas é prestarem o serviço de qualidade, com 30% a menos do que vinha sendo praticado no governo passado.

“Isto está sendo feito porque, acredita-se, que muitos desses recursos não eram aplicados corretamente. Eu sei que tem municípios com vários hospitais de 20, 50 e de até 100 leitos ainda para serem inaugurados, mas, a melhor maneira de fazer saúde – se queria fazer corretamente – seria ter inaugurado, primeiro, os 5 grandes hospitais de Balsas, de Pinheiro, de Santa Inês e o de Caxias”, enfatizou Stênio Rezende.

CADASTRAMENTO
O parlamentar também afirmou que não é a Secretaria de Saúde que está dizendo que os hospitais com 20 leitos não podem ser cadastrados no Sistema Nacional no Ministério da Saúde, quem está dizendo é o governo Federal, através de portaria do Ministério de Saúde, que proíbe que hospitais de 20 leitos sejam cadastrados. Diante disso, os prefeitos estão com o grande desafio de colocá-los para funcionar, com a ajuda do governo do Estado.

“Nós vamos, sem dúvida nenhuma, dentro de 90 dias, ver a saúde do Maranhão caminhando muito melhor do que está. Eu tenho certeza que o governador vai efetivamente melhorar e muito o atendimento na saúde do Estado do Maranhão”, acentuou o parlamentar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário