.

.

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Vereador Cássio Reis defende candidatura de Aécio Neves em pronunciamento

Os oposicionistas Cássio Reis e Raimundo Diogo divergem quanto candidaturas à presidência
Durante o pronunciamento no grande expediente o vereador Cássio Reis (PSDB) defendeu a candidatura do seu correligionário Aécio Neves a presidência da República e o novo modelo governista proposto pelo candidato a ser implantado se for eleito, conforme garantiu.

"O país inteiro sofre com o PT, mas especialmente os maranhenses onde tirou o sonho de muitos ao prometer a refinaria para beneficiar a reeleição de Roseana Sarney em 2010", declarou. O vereador reafirmou ainda que os parlamentares petistas teriam votados contra os programas sociais durante o governo de Fernando Henrique e que agora não reconhecem que estes foram criados no governo do PSDB.

"O povo nordestino e maranhense não pode ficar refém do bolsa família, mas o candidato Aécio Neves reafirma a continuidades e ampliação dos programas de transferência de renda mantido no governo dos petistas", afirmou.

Ainda segundo o vereador tucano após doze anos de governo petista não é possível encontrar no Maranhão nenhum um projeto econômico para o estado. "O que vemos é o partido perdido em um mar de lama”, disparou.

Durante o discurso Cássio Reis afirmou que “no Maranhão só existe a sigla, pois é comandada pelo PMDB de Roseana Sarney, votar na Dilma é contemplar os Sarneys para repetir o governo paralelo, o que atrapalharia muito o nosso governador Flávio Dino”.

“Quem vota em Dilma estará votando nos Sarney e finalizo convocando todos os coroataenses que fizeram a mudança do Maranhão com Flávio Dino que complete a mudança com Aécio Neves”, finalizou.

Dilma/Diogo x Aécio/Cássio - O líder da bancada de oposição Raimundo Diôgo (PT) traçou durante os primeiros trinta minutos do grande expediente que antecederam as falar do seu colega de bancada destacadas acima um paralelo das muitas conquistas do governo petista representado pelo ex-presidente Lula (2003/2010) e do governo tucano comandado por Fernando Henrique Cardoso (1995/2002), finalizou o seu discurso convocando os munícipes para votar mais uma vez para a reeleição da presidenta Dilma Roussef apesar de “suas más companhias” (sic).