.

.

sábado, 14 de junho de 2014

A odisséia da oligarquia em busca de um vice para o pré-candidato Lobinho

Muito mais difícil do que a tarefa da oligarquia Sarney encontrar um candidato a altura para competir com o ex-presidente a Embratur, Flávio Dino (PCdoB), será encontrar alguém ou partido que se habilite para a vaga de vice na chapa que deverá ser encabeçada pelo playboy brasiliense Edson Lobão Filho (PMDB), também conhecido pela alcunha de Edinho Trinta, que até o momento figura como o provável candidato o grupo.

A banda podre do PT no Maranhão inicialmente esteve de olho na vaga de vice, chegando, inclusive, a indicar o ex-secretário de estado de Trabalho e Economia Solidária do governo de Roseana Sarney (PMDB), José Antonio Heluy, também conhecido pela alcunha de Zé Mamãe, mas logo a direção nacional da legenda tratou de rechaçar esta possibilidade.

A decisão anunciada logo em seguida  em nota pela direção nacional do PT que recusou a participação na chapa majoritária representa tão somente o papel que esta agremiação deverá ter dentro da campanha sarneysta, o menor possível, o contrário do que anunciam.

Após a rasteira do PT nacional é sabido que o PMDB assediou o PSDB com a mesma proposta, mas em reunião ocorrida em Brasília - DF, o pré-candidato a presidência da república, o senador Aécio Neves, também descartou a possibilidade e veio pessoalmente ao Maranhão para dizer que os tucanos estarão ao lado dos comunistas.

E por último, e talvez a mais emblemática abordagem, os oligarcas partiram para cima do PDT do saudoso Dr. Jackson Lago, que muito lutou para que a primeira vitória da oposição contra os Sarneys fosse concretizada e que sofreu duras penas pela mesma, chegando, inclusive, a ter o seu mandado tomado de assalto por esses que naquele momento se colocava como a "noiva" perfeita. Infelizmente alguns membros do partido trabalhista, que por ambições pessoais ainda ensaiaram esta aliança, porém, mais uma vez o bom senso prevaleceu e o Lobinho recebeu o seu terceiro "chega-pra-lá".

Ao limiar da convenção para a homologação da candidatura, o suplente de senador Edinho Lobão ainda não possui um companheiro de chapa e, diante desta dificuldade, acredita-se que a oligarquia terá uma chapa majoritária "puro-sangue", ou seja, formada exclusivamente por peemedebistas, o que servirá para demonstrar o descrédito e o ostracismo daqueles que por muito anos se consideraram os donos do Maranhão.