.

.

segunda-feira, 5 de maio de 2014

O novato Josean Veras quer disputar a eleição para a presidência da Câmara contra o experiente César Trovão

De olho na cocada de César Trovão
A disputa para a nova mesa diretora da Câmara Municipal que ocorrerá neste mês de maio, segundo determinou uma emenda ao regimento aprovada em 2010, deverá trazer uma grande novidade que causará rumores e intrigas na base governista, trata-se da candidatura do vereador de primeiro mandato Josean Veras (PTC) à presidência visando desbancar o sexagenário César Trovão (PV), atual presidente e candidatíssimo a reeleição.

Veras, que atualmente ocupa a primeira vice e tendo, inclusive, ocupado interinamente a presidência por um longo período quando o pevista encontrava-se em tratamento de saúde na capital de São Paulo, mas sem nenhuma autonomia para comandar as finanças da Casa, articula nos bastidores  e revela que possui dois votos de colegas do seu bloco, além do seu, o que, com a adesão de oposicionistas garantiria a sua vitória.
Em busca de apoios de seus opositores, Veras oferecerá, se for inteligente, um cargo em sua chapa, como fez pela primeira vez na história do município o ex-vereador e presidente daquela casa, Ciba Araújo (PCdoB), conforme determina o regimento da Câmara e a Lei Orgânica do Município.

Já o atual presidente e irmão da prefeita, César Trovão, poderá buscar a sua reeleição graças a mesma emenda de autoria do seu colega de bancada Macos Machado (DEM) que permitiu a reeleição do hoje comunista em seu último mandato. Trovão garante que tem a maioria absoluta do parlamento e que se reelegerá sem muito trabalho, mas isto talvez não seja tão fácil assim, pois analistas acreditam que o cristão principiante poderá surpreender em sua articulação o experiente cunhado do todo-poderoso Ricardo Murad (PMDB).

Para  alcançar o seu sonho ousado, Josean, que não agradou muito durante o período em que presidiu interinamente aquele poder, tenta reverter agora a péssima impressão que deixou nos seus colegas oposicionistas e tem demonstrado nos bastidores que, embora esteja em seu primeiro mandato, não é nenhum inocente.

Mas não será possível que o vereador César, que parece querer se perpetuar no plenário e gabinete daquela casa legislativa, onde praticamente nasceu os dentes e a presidiu por diversas vezes durante seus muitos mandatos, não tenha uma carta (ou algumas) por debaixo das mangas para impingir o fracasso ao novato, se este não sofrer uma rasteira política vinda dos corredores do centro administrativo Dr João Mota sede provisória do governo municipal, claro se este tiver coragem para peitar até o último momento o desejo de César permanecer sem atropelos no comando daquela casa, sendo este também o desejo dos seus tutores políticos.