.

.

quarta-feira, 7 de maio de 2014

Estrada entre Coroatá e Vargem Grande é mais um exemplo do descaso do governo estadual

Foto: Blog do Alpanir
Um empréstimo com o BNDES foi feito em 2012 para sustentar um grande programa de asfaltamento que traria desenvolvimento ao Maranhão. Esse foi o principal argumento usado pelo grupo Sarney na defesa da pré-candidatura de Luís Fernando ao governo do estado. Já foram empenhados cerca de R$ 2 bilhões de um total de R$ 4,8 bilhões que seriam usados até o final do ano. A quantia sustentou as tão alardeadas ordens de serviço assinadas por Luís Fernando pelo Maranhão.

Passado o alvoroço, Luis Fernando não é mais candidato e as estradas continuam intrafegáveis em todo o estado. O mais recente exemplo do descaso do governo estadual e das mentiras alardeadas em propagandas na televisão veio do projeto de estrada que tenta ligar Vargem Grande a Coroatá. A estrada foi licitada e paga pelo governo Roseana Sarney, contudo foi abandonada pela metade pela construtora responsável por sua execução: a JNS Canaã. A empresa foi uma das principais doadoras da campanha de reeleição de Roseana Sarney e se instalou no Maranhão na véspera da celebração de contrato para a construção de parte dos 72 hospitais do Saúde é Vida.

Um dos maiores críticos à gestão Sarney, o deputado federal Simplício Araújo (Solidariedade) afirmou que a situação crítica da MA-020 é igual a diversas outras estradas abandonadas como a MA-318, que liga São João do Carú a Bom Jardim; a MA-245, entre Lago da Pedra e Lagoa Grande, dentre outras.

“São exemplos de estradas estaduais que foram alvo de assinaturas de ordem de serviço em clima de campanha eleitoral e que não sairão do papel até o fim deste ano. O governo do estado não tem mais interesse em asfaltar as estradas. A promessa de entregar asfaltadas todas as rodovias que ligam as cidades do interior do Maranhão até dezembro de 2014 será mais uma das diversas mentiras que foram propagadas por esse grupo”, afirmou.

Foto: Blog do Alpanir