.

.

quinta-feira, 10 de abril de 2014

Gincana realizada por secretaria de Juventude é marcada por uma seqüência de erros

O primeiro evento organizado pela Secretaria Municipal de Juventude - SEJUV da prefeita Teresa Murad (PMDB) em mais de um ano de mandato foi a Gincana Cultural do aniversário dos 94 anos do município comemorado na última terça-feira, 08.

A premiação foi tentadora, isto é inegável, o que levou 31 equipes a entrarem na disputa. Mas foi só.
Mesmo antes do início do evento integrantes de equipes já falavam sobre possível favorecimento de equipes, pois sabia-se que funcionários da administração pública, aqueles que receberam os seus empregos devidos a favores prestados a gestora municipal (e não através do concurso público) integravam equipes concorrentes.

E logo na primeira bateria divulgada com antecedência a suspeita de muitos foi constatada. Em uma das provas que solicitava a apresentação no dia seguinte de participantes da Virada Esportiva lá estava um membro da Comissão Organizadora que tratava logo de recrutar os seus para suas equipes, tudo fotografados pelos integrantes da equipe ONE, que também estava ali com a mesma intenção, mas decidiu que apresentariam recurso para o cancelamento desta tarefa e conseguiram.

Durante o dia seguinte os mesmos erros se repetiram, o que evidenciou que o resultado da competição em que não houve transparência ou imparcialidade por parte da Comissão Organizadora e Mesa Julgadora formada sem nenhum critério técnico era um jogo de cartas marcadas para premiar os seus.

Ao final do evento a equipe ONE, na qual estavam os titulares desta página e outras figuras da oposição ao governo municipal, não ficou entre as cinco primeiro finalistas, mesmo tendo figurado na 3ª posição na única parcial divulgada antes da última bateria que também foi cumprida em quase sua totalidade e com excelência pela equipe.

Após o encerramento da apresentação das tarefas a Comissão Organizadora isolou-se para fazer a contagem, o que durou aproximadamente uma hora, sem a presença dos líderes de equipes, outra fato que deixou dúvidas sobre a lisura do processo.

A equipe vencedora foi a Argos, que contou com diversos integrantes que são funcionários da prefeitura e que são muitos próximos da Comissão Organizadora e que um dos seus líderes.

O jovem Leandro Kleper, líder da equipe Patrimônio de Coroatá, manifestou-se em uma rede social assim que o evento foi encerrado: “Essa gincana cultura foi uma..., organização zero, eu disse zero, jurados que não souberam nem eleger a garota mais bonita, nota zero para a organização da gincana que de cultural não teve nada”, escreveu indignado.