.

.

quinta-feira, 20 de março de 2014

Sinproesemma encerrou paralisação de três dias na tarde de ontem, 19

Seminário discutiu propostas para o plano no primeiro dia de paralisação
O Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Maranhão - SINPROESEMMA encerrou na tarde de ontem, 19, o terceiro e último dia de paralisação em favor de melhorias da educação, como parte da greve geral que ocorreu em todo o país desde a última segunda feira, 17.

Durante os três dias de paralisação diversas atividades foram realizadas, em especial para marcar a marcar a luta do Sindicato em defesa dos efetivos do município de Coroatá, tais como a convocação dos excedentes e aprovação do plano de carreira para a categoria.

O último dia foi marcado por dois atos, o primeiro dele realizado durante a manhã na praça da igreja matriz com panfletagem e pronunciamentos dos diretores sindicais e professores. Como mostrou o Coroatá Conectado durante a realização do ato funcionários da prefeitura tentaram impedir arbitrariamente a manifestação popular e legítima, conforme mostra o vídeo abaixo.



Durante a tarde os professores reuniram-se mais uma vez para discutir propostas para o Plano de Carreira e Remuneração do Magistério na Câmara Municipal de Coroatá. Para a reunião, que contou com as presenças de Jean Pierre, representante do Sinproesemma para a região de Codó e o advogado Mario Barreira, foram convidados os parlamentares coroataenses, mas somente os oposicionistas Raimundo Diôgo (PT), líder do Bloco de Oposição, e Jucelino Araújo (PT) compareceram, o vereador Cássio Reis (PSDB) justificou sua ausência, pois se encontrava na capital do estado em compromisso com seu partido.

Em seu pronunciamento aos professores, o líder Raimundo Diôgo comprometeu-se em levar a proposta ao colegas de parlamento e  buscar sensibilizá-los para dialogar com o Sindicato, que não tem sido reconhecido como legítimo pela bacada governista.

Em conversa com nossa reportagem o sindicalista João Alves Filho contou que durante a reunião realizada pelo Sindicato dos Professores da Rede Municipal de Coroatá - SINPROEM, criado para atender os interesses governistas, foi revelado que o governo já possui uma minuta da proposta do plano que não foi discutida com a categoria, nem mesmo com o sindicato aliado, e que a apresentará na próxima semana no plenário da Câmara. João Filho disse que o Sinproesemma voltará a se manifestar caso o plano a ser apresentado pelo governo seja vazio, sem vantagens e gratificações.

Embora a paralisação tenha sido encerrada no dia de ontem, os professores voltarão a galeria da Câmara Municipal para reivindicar os seus interesses e buscar, mais uma vez, dialogar com os legisladores coroataenses.