quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Aluísio Mendes: um bandido honorável


O atual secretário de estado de Segurança Pública, Aluísio Mendes (PSDC), que esteve sobrevoando de helicóptero oficiais no dia de ontem (09) o município de Coroatá à convite da prefeita Teresa Trovão (PMDB) e seu esposo Ricardo Murad (PMDB), tem demonstrado a sua falta de competência para conduzir a pasta ao qual foi nomeado. Desde o início do melhor governo da vida da governadora sub judice Roseana Sarney (também do PMDB) o Maranhão mergulhou em um grande caos na ordem pública, que culminou no início da noite desta quarta-feira com a rebelião na Casa de Detenção de Pedrinhas e se estendendo na capital durante toda esta quinta-feira (10), o que levou o nosso estado a figurar nas manchetes nacionais e internacionais.

Mendes, como já dito em postagem anterior, deverá ser apresentado em breve aos coroataenses como o candidato a deputado federal da prefeita Teres Murad, fazendo "dobradinha" com o candidatíssimo à reeleição à Assembléia Legislativa Ricardo Murad, garantindo a adesão por livre espontânea pressão de todos os parlamentares governistas, sem direito a nenhuma manifestação contrária.

No livro "Honoráveis Bandidos" (Geração Editorial, 2009, 207 pag.) escrito pelo jornalista Palmério Dória da Carta Capital (e também auto de "A candidata que virou picolé"), este personagem é descrito na página 108 através do longo parágrafo que transcrevemos abaixo:
"Agosto, mês de desgosto. O ex-presidente (José Sarney), aos 78 anos (à época), diante daquelas 150 pessoas, não pode dizer que um novo caso de polícia tonara aquela manhã particularmente azeda. Tem bons amigos na Polícia Federal. Um deles, Aluísio Guimarães Mendes Filho, trabalha em seu próprio gabinete, pois, manda a lei, como ex-presidente tem direito a proteção especial ( a agente teve a prisão preventiva pedida pela própria Polícia Federal, negada pela Justiça, por suspeita plausível de vazar para Sarney o andamento do inquérito contra Fernando (Sarney) e, pelos serviços prestados ao clã, ao assumir o governo do Maranhão pela terceira vez Roseana nomeará Aluísio secretário-adjunto do Centro de Inteligência da pasta da Secretaria de Segurança, assim ele passará a investigar os adversários oficialmente)"
O trecho acima refere-se a fatos ocorridos em anos anteriores a 2008, muito tempo depois o mesmo agente seria nomeado o próprio secretário de Segurança Pública.